PUBLICIDADE
Topo

Filmes e séries


"Sex Education", da Netflix, chega em boa hora para discutir sexo no Brasil

Maeve, Eric e Otis em "Sex Education" - Divulgação
Maeve, Eric e Otis em "Sex Education" Imagem: Divulgação

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

30/01/2019 04h00

Poderia ser apenas uma série adolescente com apelo sexual, cenas de nudez e muitas piadas com genitais para chamar a atenção do público. Mas o nome "Sex Education" cai como uma luva à produção da Netflix, que discute de forma profunda a educação sexual e os relacionamentos e virou queridinha do público, com direito a memes nas redes sociais.

"Sex Education" conta a história de Otis (Asa Butterfield), um jovem que está no ensino médio. A mãe dele, Jean (Gillian Anderson), é terapeuta sexual. Virgem e avesso ao contato sexual, a ponto de não conseguir se masturbar, Otis acaba descobrindo talento para aconselhar os colegas da mesma idade justamente sobre questões sexuais e relacionamentos, mesmo sem qualquer experiência. Junto a garota-problema Maeve (Emma Mackey), ele começa a cobrar dos amigos para dar seus pitacos.

Com um elenco muito carismático, "Sex Education" bate em temas que têm causado debates acalorados no Brasil, como aborto e homossexualidade, e ainda a discussão da construção de amor romântico e, claro, sexo. E tudo pelas mãos de uma showrunner mulher, Laurie Nunn, o que traz um olhar feminino importante para a trama.

Gillian Anderson e Asa Butterfield são mãe e filho em "Sex Education" - Divulgação/IMDb
Gillian Anderson e Asa Butterfield são mãe e filho em "Sex Education"
Imagem: Divulgação/IMDb

Em tempos de discussões sobre temas como educação sexual, "Sex Education" tem como trunfo mostrar que falar abertamente sobre os temas considerados espinhosos são a forma de trazer esclarecimento, especialmente na fase de confusão e ansiedade da adolescência. 

A produção da Netflix acerta ao falar sobre relacionamentos e sobre como se abrir a eles, deixando preconceitos e se permitindo refletir sobre suas ações. O bullying é outro tema forte na série, com enfoque na homofobia que o personagem Eric (Ncuti Gatwa), um dos destaques da trama, sofre. Vale lembrar que o Brasil é um dos países que mais mata LGBTs no mundo --de acordo com o Grupo Gay da Bahia, principal referência nacional em registros de mortes do tipo, foram 445 mortes em 2017.

Em oito episódios de cerca de 50 minutos cada, "Sex Education" cumpre as missões de discutir os temas a que se propõe, ao mesmo tempo em que mantém a curiosidade sobre o que acontecerá numa possível próxima temporada. Mais importante, o faz sem grandes manipulações e sem soar como se estivesse pregando verdades. Tudo na base de um bom roteiro, com personagens bem amarrados e atores e atrizes jovens e talentosos.

A personagem Lily virou uma das preferidas para os memes nas redes sociais:

Meme de "Sex Education", com a personagem Lily (Tanya Reynolds) - Reprodução/Facebook
Meme de "Sex Education", com a personagem Lily (Tanya Reynolds)
Imagem: Reprodução/Facebook

Filmes e séries