PUBLICIDADE
Topo

A fantástica história de amadurecimento de "Como Treinar o Seu Dragão"

Cena de "Como Treinar o seu Dragão 3" - Divulgação
Cena de "Como Treinar o seu Dragão 3" Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

16/01/2019 04h00

ATENÇÃO: O texto abaixo contém spoilers dos livros que inspiraram "Como Treinar Seu Dragão". Não leia se não quiser saber o que acontece. 

Quase nove anos se passaram desde que o público do cinema conheceu a dupla dinâmica formada por Soluço e Banguela, os protagonistas de "Como Treinar o Seu Dragão". E a fantástica jornada de amadurecimento que a saga da DreamWorks teceu durante todo esse tempo será encerrada com o lançamento do terceiro filme da franquia, que chega na quinta-feira (17) aos cinemas.

"Como Treinar o Seu Dragão 3" começa de onde parou o segundo filme, de 2014. Soluço se torna chefe de sua tribo de vikings após a morte do pai, Stoico, e logo percebe que o trabalho não é fácil: a aldeia de Berk, onde homens e dragões vivem em harmonia graças aos esforços do próprio Soluço e de seu grupo de amigos nos filmes anteriores, é ameaçada pelo terrível vilão Grimmel.

O novo antagonista está em busca do Mundo Escondido, uma utopia onde milhares de dragões vivem em isolamento dos humanos. Soluço decide encontrar o local primeiro a fim de protegê-lo, e para isso conta com a ajuda do seu fiel dragão Banguela e sua nova parceira, uma fêmea de sua espécie, com um visual bem diferente.

Este conflito com Grimmel forçará Soluço a tomar decisões difíceis, e os fãs dos livros originais de Cressida Cowell devem se preparar para um final tão agridoce quanto o da franquia literária. Nela, após 12 livros de aventuras, Soluço deixava Berk para trás a fim de construir uma nova civilização, instruindo seus amigos a espalharem a noção de que os dragões nunca foram nada além de um mito.

Cowell disse em entrevista que "Como Treinar o Seu Dragão 3" tem um final similar ao dela, embora a franquia do cinema tenha tomado caminhos bem diferentes do que a literária no decorrer da jornada. "Assim como acontece nos livros, os filmes explicam porque os dragões não existem mais no mundo de hoje", comentou a autora.

O diretor e roteirista Dean DeBlois tem divulgado o terceiro filme como a aventura final de Soluço e cia. Se ainda restam outras histórias a ser contadas no universo maior de "Como Treinar o Seu Dragão", é uma decisão que cabe à DreamWorks.

Cena de "Como Treinar o Seu Dragão" (2010) - Divulgação/IMDb - Divulgação/IMDb
Cena de "Como Treinar o Seu Dragão" (2010)
Imagem: Divulgação/IMDb

Um novo modelo de herói

No início de "Como Treinar o Seu Dragão", lançado em 2010, Soluço não se encaixa na aldeia de Berk. Embora esteja na posição privilegiada de filho do chefe da tribo, o personagem tem que lidar com o fato de que é visto como uma decepção pelo pai, e como uma aberração por parte dos aldeões.

Fisicamente fraco, facilmente acovardado, com hábitos intelectuais que não são comuns entre vikings, Soluço se aproxima sem nenhum ânimo da época de sua adolescência em que teria que aprender a caçar dragões, uma atividade glorificada entre os vikings de Berk. Ao invés disso, no entanto, ele fere e aprisiona (sem querer) um Fúria da Noite, raríssimo espécime de dragão, o batiza de Banguela e desenvolve, com ele, uma grande amizade.

Usando a inteligência, a curiosidade e empatia, Soluço descobre que as criaturas que atormentavam Berk há gerações podem, ao invés disso, viver ao lado dos humanos em harmonia. Dirigido e escrito por DeBlois e Chris Sanders ("Lilo & Stitch"), o primeiro filme mostra muito mais do que a história de um garoto e seu animal de estimação: é sobre o confronto entre gerações de tradição e a nova maneira de enxergar as coisas trazida pelos jovens. E de como um desses jovens usa a inteligência para remoldar o mundo a sua volta.

Cena de "Como Treinar o Seu Dragão 2" (2014) - Divulgação/IMDb - Divulgação/IMDb
Cena de "Como Treinar o Seu Dragão 2" (2014)
Imagem: Divulgação/IMDb

O amadurecimento de Soluço continua na sequência, "Como Treinar o Seu Dragão 2". O roteirista DeBlois foi esperto ao levar o conflito para fora de Berk, fazendo com que o protagonista e seus amigos enfrentem o caçador Drago (Djimon Hounsou), que só quer usar dragões como instrumentos de guerra para construir o seu império.

Posicionando Soluço como um aventureiro cheio de criatividade e de compaixão pelos dragões, a franquia construiu um modelo de herói bem diferente. O temperamento ponderado de Soluço é um contraste ao retrato de masculinidade emocionalmente fechada que encontramos em outras franquias hollywoodianas.

A substituição do modelo de masculinidade, heroísmo e liderança representado por Stoico, o pai de Soluço, por uma versão mais moderna e responsável dele, é um dos maiores temas da saga. Para isso, a série toca também em temas como a aceitação da família e o luto de perder alguém próximo do nosso coração, especialmente quando o herói perde o pai, no final do segundo filme, logo depois de descobrir que sua mãe, Valka (Cate Blanchett), não está morta como todos acreditavam.

A hábil jornada de amadurecimento de "Como Treinar o Seu Dragão" é universal nestes sentimentos de pesar e triunfo. Sua moralidade contemporânea, em que os que advogam pela brutalidade são sempre os vilões, mas em que há espaço para a redenção e a adaptação a novas ideias, moderniza o gênero da fantasia.

Cena do trailer de "Como Treinar o Seu Dragão 3" (2019) - Divulgação/IMDb - Divulgação/IMDb
Cena do trailer de "Como Treinar o Seu Dragão 3" (2019)
Imagem: Divulgação/IMDb