Topo

Geek

Chris Columbus: "Se fizesse besteira em Harry Potter, me esconderia na Rússia"

Mariana Pekin/UOL
Chris Columbus na CCXP Imagem: Mariana Pekin/UOL

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em São Paulo

06/12/2018 13h49

O grande homenageado da CCXP 2018 (Comic Con Experience), que acontece até domingo (9) na São Paulo Expo, é o roteirista de clássicos dos anos 1980, como "Gremlins" e "The Goonies", e diretor de "Esqueceram de Mim" e "Uma Babá Quase Perfeita". O trabalho de Columbus marcou a infância de muita gente, e ele conseguiu renovar seus fãs ao dirigir "Harry Potter e a Pedra Filosofal" e "Harry Potter e a Câmara Secreta". 

Foi com esse tom de idolatria e entusiasmo por ter produzido clássicos do cinema para várias gerações que o diretor foi recebido nesta quinta-feira (6) no palco do auditório Cinemark. "Tem uma questão da nostalgia dos anos 1980. Toda vez que faço uma reunião com o pessoal dos estúdios, eles lembram dessas produções", afirmou Columbus. 

Uma das revelações feitas pelo diretor é a do encontro que ele teve com J.K. Rowling, autora de Harry Potter. "Quando eu peguei o trabalho de Harry Potter, eu tinha que viajar para a Escócia para conhecê-la e fiquei com medo de estragar tudo. Chegando lá, ficamos 2 horas e ela era ótima, calorosa. Falei da minha visão do mundo e ela concordou. Naquele momento eu percebi que tinha os olhos do mundo em mim e, se fizesse besteira no Harry Potter, provavelmente eu teria que me esconder na Rússia", disse ele, que contou ficar emocionado até hoje quando assiste às cenas que gravou de Harry Potter. 

O QUE ROLOU NA CCXP

Mariana Pekin/UOL
Imagem: Mariana Pekin/UOL

Columbus falou também sobre o filme "Crônicas de Natal", com Kurt Russell no papel de Papai Noel, lançado recentemente direto na Netflix. "Amo fazer filmes ambientados no Natal, como 'Esqueceram de Mim'". Sobre Kurt Russell, ele disse: "Os três melhores atores que eu trabalhei foram Robin Williams, depois foi John Candy, e o terceiro foi Kurt Russell. Sinceramente, é um dos grandes atores da nossa geração e ninguém dá muita bola para ele. É o John Wayne de nossa geração". 

O diretor mencionou ainda a parceira com Robin Williams, com quem trabalhou em "O Homem Bicentenário" e "Uma Babá Quase Perfeita". "Quando a gente estava trabalhando, ele fazia o que estava no roteiro uma ou duas vezes. Depois, ele dizia: 'Vamos brincar', e começava a improvisar. E ele nunca se repetia e atuava de maneiras diferentes. Se desligássemos a câmera, perderíamos coisas interessantíssimas".

O humor de "Esqueceram de Mim" também foi abordado. "É um humor físico. As pessoas caem, se machucam", disse. "Quando a gente via os dublês caindo, ficávamos com medo de eles terem morrido. Só depois que assistíamos as cenas gravadas é que relaxávamos para rir. Foi diferente no 'Esqueceram de Mim 2', quando a gente ria enquanto filmava", contou. "O bom de trabalhar com crianças, eu acho, é que eles não fizeram muito filmes, então eles entregam uma reação mais realista. Como em 'Esqueceram de Mim' ou em 'Crônicas de Natal'", explicou.