PUBLICIDADE
Topo

Na cola de "Crônicas de Natal", os Papais Noéis mais curiosos do cinema

Kurt Russell em "Crônicas de Natal" - Divulgação
Kurt Russell em "Crônicas de Natal" Imagem: Divulgação

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

21/11/2018 04h00

Em "Crônicas de Natal", filme original da Netflix que será lançado nesta quinta-feira (22), Kurt Russell interpreta uma versão rabugenta e descolada do Papai Noel. Bem ao estilo de seus personagens clássicos como Snake Plissken ("Fuga de Nova York"), Russell injeta carisma e sarcasmo ao personagem.

O filme conta a história dos irmãos Kate (Darby Camp) e Teddy Pierce (Judah Lewis). Determinados a flagrar o Papai Noel com uma câmera na noite de Natal, eles acabam se envolvendo em uma missão com a qual nem poderiam sonhar.

Depois de espiar a chegada do bom velhinho, Kate e Teddy se escondem no seu trenó, provocam um acidente e põem em risco o Natal de milhares de crianças. A saída agora é virar a noite trabalhando duro com o Papai Noel e seus elfos para salvar o Natal antes que seja tarde demais.

Releituras curiosas do Papai Noel não faltam. A figura icônica do homem barbudo, barrigudo e vestido de vermelho ganhou uma variedade de versões bizarras nas telonas.

No espírito de "Crônicas de Natal", listamos abaixo algumas das mais inesperadas:

Cena de "Santa Claus", de 1959 - Reprodução - Reprodução
Cena de "Santa Claus", de 1959
Imagem: Reprodução

"Santa Claus" (1959)

Este filme mexicano gerou dezenas de memes na internet e se tornou uma espécie de clássico trash. Aqui, Papai Noel (José Elias Moreno) não vive no Polo Norte, e sim em um castelo em meio às nuvens acima do Polo Norte. Com pinta de ricaço megalomaníaco, este bom velhinho terá que enfrentar o próprio Diabo (José Luis Aguirre), que recruta três crianças malvadas para tentar arruinar o Natal.

O mago Merlin (aquele, da lenda do Rei Arthur) também está envolvido na briga, por algum motivo. As caracterizações toscas dos personagens e a trama totalmente viajada fazem do filme de René Cardona uma das curiosidades mais bizarras do cinema.

Cena de "Papai Noel Conquista os Marcianos", de 1964 - Divulgação - Divulgação
Cena de "Papai Noel Conquista os Marcianos", de 1964
Imagem: Divulgação

"Papai Noel Conquista os Marcianos" (1964)

A figura do Papai Noel interpretada por John Call neste filme é bem convencional, na verdade: um bom velhinho cheio do espírito do Natal, dedicado a realizar os sonhos de crianças... tanto terráqueas quanto marcianas. A trama mostra o que acontece quando as crianças de Marte ficam obcecadas por programas de TV da Terra, que usam cada vez mais a figura do Papai Noel quando o Natal se aproxima.

Frustrados, os pais marcianos vêm até a Terra e sequestram duas crianças, que lideram uma expedição até o Polo Norte para conhecer o verdadeiro Papai Noel. Os alienígenas decidem levar o bom velhinho e as crianças para Marte, onde todos são mantidos reféns. É só com o verdadeiro espírito de Natal que eles conseguirão superar a barreira entre estas duas civilizações tão diferentes.

"Herói por Engano" (1996)

No auge da fama, o atleta de luta livre Hulk Hogan estrelou esta comédia, em que interpreta um milionário maligno que, um dia, bate a cabeça e acorda pensando que é o Papai Noel. É claro que, uma vez que isso acontece, ele precisa frustrar o plano maligno de outro milionário, que quer destruir um orfanato.

Uma curiosidade deste filme é que uma das crianças com as quais "Papai Noel" interage é interpretada por Mila Kunis. Então aos 13 anos, a atriz conhecida por "Perfeita é a Mãe!" e "Cisne Negro" havia aparecido apenas em pequenos papéis na TV (e no filme "Piranha") antes disso.

"O Papai Noel Trapalhão" (2000)

O saudoso rei do pastelão Leslie Nielsen, conhecido por papéis em "Apertem Os Cintos! O Piloto Sumiu", "Corra Que a Polícia Vem Aí" e "Todo Mundo em Pânico", assumiu o manto do Papai Noel neste filme produzido para a TV nos EUA, que foi lançado em home video aqui no Brasil.

Bem ao seu estilo exagerado, Nielsen interpreta um bom velhinho que está sempre sofrendo acidentes hilários: desta vez, no entanto, ele caiu do seu trenó em pleno voo e acabou perdendo a memória. Agora, apenas a inocência de um jovem que ainda acredita no Papai Noel pode ajudá-lo.

"Pode Me Chamar de Noel" (2001)

E se Papai Noel não fosse um único velhinho, e sim um cargo que é passado de pessoa para pessoa a cada 200 anos? É o que imagina este filme, em que Nigel Hawthorne interpreta o atual incumbente do título, que quer que uma produtora de TV rabugenta com quem forjou uma amizade (Whoopi Goldberg) o substitua.

O problema é que ela não acredita que ele seja mesmo o Papai Noel. No melhor estilo Sessão da Tarde, o filme discute inocência e cinismo em época de Natal, abusando dos talentos de Goldberg e Hawthorne, dois atores renomados, para carregar a história um tanto previsível.

"Uma Noite de Fúria" (2005)

O bom velhinho não tem nada de bom neste terror que reescreve a mitologia do Papai Noel para transformá-lo em um assassino impiedoso. Aqui, ele é na verdade o filho do Diabo, que perdeu uma aposta com um anjo e passou mais de 1.000 anos tendo que interpretar o papel do espírito benévolo do Natal.

Agora que a aposta acabou, ele está sedento por sangue e vingança. Só quem pode pará-lo é o jovem Nicholas (Douglas Smith) e sua namorada, Mac (Emilie de Ravin). Eles descobrem que o avô de Nicholas era o anjo que fez a aposta com Papai Noel, e trabalham em um plano para coloca-lo sob controle novamente.

"Papai Noel das Cavernas" (2010)

Este elogiado filme europeu não é recomendado para crianças. Misturando comédia e terror, o longa usa o lado mais sombrio da mitologia de Papai Noel (afinal, ele pune as crianças levadas, que ficam sem presentes no Natal) para contar uma história sinistra.

Aqui, Papai Noel é encontrado congelado em uma escavação arqueológica na Finlândia. Quando ele ressuscita, no entanto, se prova um espírito vingativo e sanguinário que só pode ser parado com a ajuda de um garoto durão e o seu pai. Isso sem contar os elfos que ajudam Papai Noel nesta versão, criaturas endiabradas que não dão folga aos nossos heróis.

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que foi informado na primeira versão do texto, Leslie Nielsen não atuou em "Loucademia de Polícia". Ele trabalhou em "Corra que a Polícia Vem Aí". O erro foi corrigido.