Topo

Beijo em meninas, tretas e choro: as revelações da série de Anitta para a Netflix

Alexandre Schneider/Netflix
Anitta fala sobre sua série para a Netflix, "Vai Anitta" Imagem: Alexandre Schneider/Netflix

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

16/11/2018 18h11

Anitta entrou para o time dos músicos que abriram sua vida para as câmeras nesta sexta-feira (16), quando a série documental que leva o seu nome estreou na Netflix. É o ápice de uma semana atribulada em que a cantora lançou clipes em três idiomas diferentes, atendeu à imprensa no Brasil, viajou e ainda marcou presença no Grammy Latino após enfrentar um contratempo no seu figurino.

Com seis episódios de meia hora cada, a produção cobre um período que vai de agosto de 2017 até o começo desde ano, período marcado pela investida de Anitta na carreira internacional. Não por acaso, quatro capítulos são dedicados ao projeto Check-Mate, no qual a brasileira lançou um clipe por mês: “Will I See You”, “Is That For Me”, “Downtown” e “Vai Malandra”.

“Vai Anitta” também é, por si, uma peça-chave no caminho do sucesso mundial da cantora. A produção executiva da série é assinada por Anitta e por John e Sam Shahidi, os responsáveis por gerenciar sua carreira internacional. O trio claramente aposta nos benefícios de ter à disposição a plateia global da Netflix, disponível em mais de 190 países, e cria uma narrativa que pode ser facilmente assimilada por um espectador que não seja brasileiro nem esteja tão familiarizado assim com a cantora.

A estrutura e a assinatura, obviamente, não favorecem controvérsias e polêmicas – Kamilla Fialho, a ex-empresária com quem Anitta travou uma batalha judicial por quatro anos, não é mencionada; mesmo destino teve Terry Richardson, o famoso fotógrafo que dirigiu “Vai Malandra” e, depois, foi acusado de abuso sexual por várias mulheres. A cantora, no entanto, abre espaço para revelações sobre sua intimidade e os bastidores de sua atribulada rotina profissional. Confira abaixo as principais:

Beijo em meninas

Reprodução
Imagem: Reprodução

Na época das gravações, talvez Anitta nem imaginasse que beijaria 24 pessoas, homens e mulheres, no clipe de “Não Perco o Meu Tempo”, mas no terceiro episódio da série ela conta que já havia ficou com meninas – e que sua mãe a acolheu quando soube.

“Eu fiquei morrendo de medo da reação dela e ela foi completamente normal como sempre comigo. Por isso tenho tanta vontade de dar esse suporte às pessoas que têm suas diferenças sexuais, porque acho me lembra o medo que eu tive e o alívio que minha mãe me causou. Ao mesmo tempo em que eu agradeço a ela, tento ser um suporte às pessoas que não tiveram essa sorte que eu tive”, diz a cantora.

Vale lembrar que, durante as eleições, Anitta foi criticada pela comunidade LGBT por demorar a se posicionar contra o então candidato à presidência Jair Bolsonaro, do PSL. Enquanto falava sobre o assunto com internautas, ela chegou a afirmar que fazia parte da comunidade, mas não deu detalhes sobre sua orientação sexual. 

Tretas nos bastidores de “Vai Malandra”

Divulgação
Imagem: Divulgação

Gravado no Vidigal, no Rio de Janeiro, o clipe foi uma superprodução que trouxe uma bela dor de cabeça a Anitta. Segundo a artista, houve uma série de problemas que atrasaram as filmagens, o que a levou a dar uma grande bronca na equipe.

“Eu chamei todos os envolvidos, eu pedi perdão pra Jojo Toddynho e para o DJ Yuri, que eram apenas convidados e falei ‘vocês vão conhecer uma pessoa que eu gostaria que vocês esquecessem logo na saída’. Eu dei um baile em todo mundo”, lembra a cantora, explicando ainda que dispensou a equipe de produção, colocou sua equipe pessoal para trabalhar e coordenou pessoalmente as cenas: “Eu que falava ‘vai música’, ‘rodou’, ‘câmera’, ‘ação’”.

Ao citar este momento, porém, a série peca no principal mandamento do audiovisual: “não conte, mostre”. Apesar de as câmeras terem registrado algumas imagens dos bastidores do clipe, o imbróglio não aparece em cena – o que vemos mais perto disso é Anitta comandando uma cena. O que aconteceu com o diretor Terry Richardson no meio disso tudo? Não é dessa vez que o público vai descobrir. 

O começo do relacionamento com Thiago Magalhães

Reprodução/Instagram/euleodias
Imagem: Reprodução/Instagram/euleodias

Thiago, de quem Anitta se separou em setembro deste ano, tem uma participação significativa na série, mas seu momento mais divertido é quando os dois contam como começaram a namorar. Tudo começou, segundo Anitta, na casa de Neymar, onde Nego do Borel se referiu ao empresário como namorado da amiga.

“Fiquei morrendo de vergonha porque ele não era meu namorado, nunca tinha pedido nada. Falei ‘cara, desculpa, nunca falei nada disso para o Nego’”, lembra a cantora. Thiago, porém, resolveu pedi-la em namoro no mesmo momento – e Anitta, para comemorar, bebeu um pouco mais do que devia, o que mais tarde se provou uma má ideia: “Vomitei nele, no carro dele, no segurança, no motorista, vomitei em tudo”.

Choro

AgNews
Imagem: AgNews

O Prêmio Multishow de 2017 ficou marcado por uma falha do figurino de Anitta, que teve parte do peito exposta enquanto se apresentava no palco do evento. E a artista não ficou nem um pouco feliz com a repercussão que o caso tomou na mídia e nas redes sociais.

“Meu figurino chegou em cima da hora. Achei que ia ficar tudo bem, até que eu fiquei pelada no palco. Eu fui a que mais ganhou prêmio e ninguém nem deu a mínima para isso, as pessoas só falaram do que aconteceu, de eu ter ficado com o peito de fora no palco. Eu cheguei e chorei como se o mundo tivesse acabado”, fala.

O figurino polêmico de “Is That For Me”

Reprodução
Imagem: Reprodução

Parceria de Anitta com o DJ Alesso, “Is That For Me” teve um clipe gravado em grande estilo na Amazônia. O cenário e a música, no entanto, acabaram em segundo plano por conta das críticas aos figurinos usados por Anitta no vídeo, classificados de “bregas” e “cafonas” nas redes sociais.

Em certo trecho da série, Anitta diz que já previa os problemas com os looks. “Lá na Amazônia, tudo o que eles botavam eu falava ‘olha, acho que o povo vai falar isso aqui, vocês têm certeza?’ Respondiam ‘tenho, a gente estudou’. Então está bom. No dia seguinte, mandei, ‘olha queridos, nunca falaram tão mal de mim na história dos meus videoclipes. Vocês conseguiram bater o recorde’”.

“Só eu sei como eu fico mal depois que eu vejo um monte de críticas de um negócio que não fui eu que fiz”, completou.

Depressão

Manuela Scarpa/Brazil News
Imagem: Manuela Scarpa/Brazil News

Anitta já havia adiantado à imprensa, na segunda-feira, que o documentário mostraria um pouco da crise de depressão que ela enfrentou no fim de 2017. E ela realmente discute um assunto em um dos episódios da produção. “Eu tinha tudo para estar feliz, e aí vi que tinha um problema, porque eu não estava. Eu estava mal. E aí eu entendi que a minha depressão tinha voltado”, diz ela, contando que lidou pela primeira vez com a doença no início da carreira.

Newsletters

Receba por email as principais notícias do UOL sem pagar nada.

Quero receber

Mais Pop