PUBLICIDADE
Topo

Disney manda recado ao Oscar e quer emplacar "Pantera Negra" em 16 categorias

Nakia (Lupita Nyong"o), T"Challa (Chadwick Boseman) e Okoye (Danai Gurira): Em busca dos Oscars - Divulgação
Nakia (Lupita Nyong'o), T'Challa (Chadwick Boseman) e Okoye (Danai Gurira): Em busca dos Oscars Imagem: Divulgação

Tiago Dias

Do UOL, em São Paulo

11/09/2018 12h24

Após a malfadada intenção do Oscar em criar uma nova categoria para filmes populares, a Disney (que controla os filmes dos estúdios Marvel) mandou um recado claro aos membros da Academia e submeteu seu blockbuster “Pantera Negra” em todas as categorias possíveis.

Não havia dúvidas de que o filme era um concorrente forte nas categorias técnicas, como figurino, efeitos especiais, design de produção, mixagem e edição de som, e maquiagem, mas a produção da Marvel quer mais.

Leia mais

A campanha aposta que o filme pode ser elegível nas categorias de melhor filme, diretor (Ryan Coogler), ator (Chadwick Boseman), ator coadjuvante (Michael B. Jordan, Martin Freeman, Daniel Kaluuya, Winston Duke, Sterling K. Brown, Forest Whitaker, Andy Serkis), atriz coadjuvante (Lupita Nyong'o, Danai Gurira, Letitia Wright, Angela Bassett), roteiro adaptado (Ryan Coogler e Joe Robert Cole), fotografia, montagem, trilha original e música (“All the Stars”, parceria de Kendrick Lamar e SZA).

A intenção da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas com a nova categoria era premiar filmes com grande impacto cultural e aclamação do público, como o caso de “Pantera Negra”, mas os críticos apontam uma tentativa desesperada de aumentar os números de audiência da cerimônia, que andam em queda, além de reforçar a ideia de que blockbusters são produtos menores dentro do mercado cinematográfico.

A mensagem dos estúdios, no entanto, é clara e pede que a Academia entenda o primeiro filme sobre o super-herói negro como uma produção com o mesmo prestígio de dramas premiados que costumam ganhar indicações ao prêmio principal.

O Oscar pretendia introduzir o prêmio na cerimônia de 2019, que ocorrerá no próximo dia 24 de fevereiro, mas a recepção controversa do anúncio fez a Academia repensar a decisão.