PUBLICIDADE
Topo

Detalhe de "O Primeiro Homem" fez apresentador chamar Ryan Gosling de idiota

Divulgação
Imagem: Divulgação

Osmar Portilho

Colaboração para o UOL

04/09/2018 04h00

"O Primeiro Homem" nem chegou aos cinemas e já causou uma polêmica que feriu o sentimento patriótico de alguns norte-americanos, principalmente no canal Fox News. A cinebiografia dirigida por Damien Chazelle tem roteiro focado em Neil Armstrong, primeiro homem a pisar na Lua, em 1969. Uma das cenas mais famosas desta conquista espacial não teve o destaque esperado por parte do público: o momento em que a bandeira norte-americana é fincada no único satélite natural da Terra.

Encarregado de viver o astronauta, Gosling explicou a visão do diretor ao deixar a ação em segundo plano.

"Eu acho que este ponto de vista se deve ao fato de ser uma conquista da humanidade e foi esta a maneira que escolhermos retratá-la. Também acho que Neil era extremamente humilde, como a maioria dos astronautas, e gostava de desviar o foco dele para as 400 mil pessoas que tornaram a missão possível", explicou.

Uma onda de críticas se espalhou por alguns veículos opinativos nos Estados Unidos, principalmente na Fox News. No programa "Fox & Friends", o apresentador Pete Hegseth reagiu ao comentário do ator. "Aqui está o que eu acho: Ryan Gosling é um idiota. Ele acha que é uma conquista da humanidade? Não foram os humanos que se juntaram e falaram 'vamos à Lua'. Não. Um país empurrado pelo capitalismo fez isso para vencer os russos na corrida espacial", disse o apresentador.

Para o diretor Damien Chezelle, a ideia era justamente não dar este foco ao momento físico em que a bandeira é posicionada na Lua, segundo disse à agência AP, e também retirar um suposto peso político da questão.

"Respondendo aos questionamentos se este é um posicionamento político, a resposta é não. Minha missão com o filme é mostrar para o público momentos não vistos, aspectos desconhecidos sobre a missão americana -- particularmente a saga pessoal de Neil Armstrong e o que ele estava pensando e sentindo naqueles momentos", explicou o cineasta.

Sendo assim, é natural que esta cinebiografia não tenha como objetivo recriar com exatidão um acontecimento histórico, e sim fazer uma releitura pessoal e emocional do maior personagem desta história.

Leia mais:

Essa abordagem foi reforçada em um comunicado enviado pela família de Neil Armstrong, que já assistiu ao filme, ao Collider. "É um filme pessoal sobre a jornada do nosso pai, visto através de seus olhos. Eles [os cineastas] passaram anos fazendo uma pesquisa profunda para entender o homem por trás do mito", diz o texto.

O comunicado diz que o longa "celebra a conquista dos Estados Unidos, mas uma conquista da 'humanidade'", em alusão à frase dita pelo próprio Neil Armstrong em solo lunar: "Este é um pequeno passo para o homem, mas um salto gigantesco para a humanidade".

"O Primeiro Homem" é mais um longa-metragem que desperta reações exageradas antes mesmo de chegar aos cinemas e passar somente por algumas sessões em festivais. No Brasil, o lfilme estreia no dia 11 de outubro.