PUBLICIDADE
Topo

Pabllo Vittar chora ao lembrar bullying na escola: "No 1º dia, me bateram"

Pabllo Vittar se emociona no Altas Horas - Reprodução
Pabllo Vittar se emociona no Altas Horas Imagem: Reprodução

Maurício Dehò

Do UOL, em São Paulo

02/09/2018 07h41

Pabllo Vittar se emocionou no Altas Horas, ao falar sobre sua infância. A cantora relembrou momentos difíceis, quando estava no primeiro dia em uma nova escola, na 5ª série, e apanhou de colegas. E se declarou à mãe, que sempre a apoiou

"Na escola foi um período muito difícil para mim. Eu tinha dez anos na 5ª série, uma criança gordinha, afenimada do cabelo grande. Eu fui pra escola nesse primeiro dia muito contente, todo mundo queria chegar na 5ª série. Troquei de escola e achei que ia fazer um monte de amigos novos. No primeiro dia me bateram e foi horroroso porque eu não tinha a quem recorrer. Tinha minhas irmãs, que estudavam comigo, e os professores não faziam nada", relatou Pabllo, interrompendo sua fala em alguns momentos por conta da emoção.

"Eu lembro de ter chegado em casa falando para minha mãe que não queria ir mais para à escola. Minha mãe falou: você vai sim, sua vida inteira vai ser desse jeito, se você se esconder vai ser pior", adicionou ela.

Questionada por Serginho Groisman sobre a posição de sua família nisso, ela contou como a mãe sempre a apoiou.

"Eu tenho muito orgulho de ter nascido na família da Dona Verônica Rodrigues, minha mãe, que sempre me aceitou e me amou. Ela me criou e as minhas duas irmãs sozinha, no interior do Pará. Eu me lembro de ajudar a minha mãe a colocar o cimento da calçada da gente", relembrou Pabllo.

LEIA TAMBÉM

Pabllo ainda contou como foi sua evolução física - chegando hoje aos seus 1,87 m. 

"Eu fui começar a esticar, eu tinha 13 para 14 anos, era muito alta, muito magrinha. Pensava: "mas que diacho é isso, todo mundo ficando bonito e eu um curupira desse?". Mas a vida foi boa comigo, quando foi chegando os 18, 19, foi chegando o babado", riu a cantora, que cantou "Problema Seu", "Indestrutível" e "KO" no "Altas Horas".