PUBLICIDADE
Topo

Warner é criticada por colocar Depp com ex que o acusou de agressão em painel

Johnny Depp e Amber Heard foram escalados para o painel da Warner na San Diego Comic-Con 2018 - Kevin Winter/Getty Images/AFP e Chris Delmas/AFP Photo
Johnny Depp e Amber Heard foram escalados para o painel da Warner na San Diego Comic-Con 2018 Imagem: Kevin Winter/Getty Images/AFP e Chris Delmas/AFP Photo

Caio Coletti

Colaboração para o UOL

21/07/2018 18h01

O painel da Warner Bros. na San Diego Comic-con 2018 causou controvérsia por conta de seu elenco. Nas redes sociais, o estúdio foi criticado por colocar o ator Johnny Depp no palco para promover "Animais Fantásticos: Os Crimes de Grindelwald", logo antes de trazer a atriz Amber Heard, que foi casada com o ator e o acusou de agressão, para falar de "Aquaman".

Depp apareceu de surpresa no painel de "Animais Fantásticos", continuação da franquia spin-off de "Harry Potter" na qual ele interpreta o vilão Grindelwald. Totalmente caracterizado com o cabelo platinado, o figurino e as lentes de contato, Depp deu um discurso sinistro que levou os fãs da saga presentes no Hall H à loucura.

Pouco depois, Heard chegou acompanhada de colegas de elenco de "Aquaman", próximo filme da DC. A atriz interpreta Mera, a heroína que ajuda o Aquaman de Jason Momoa a abraçar o seu destino como rei de Atlantis.

"Como a Warner pode justificar dar um emprego para Johnny Depp quando Amber Heard é uma das estrelas de Aquaman? Eles apareceram poucos minutos um do outro. Isso faz com que eu me sinta enjoada", criticou a jornalista Dana Schwartz, da revista "Entertainment Weekly", no Twitter. O sentimento foi ecoado por outros internautas (veja no fim do texto). 

Heard acusou Depp de agressão durante o divórcio dos dois, em 2016. Fotos da atriz com machucados no rosto foram publicadas na imprensa, e ela ainda levou ao tribunal um vídeo de um dos episódios violentos de Depp, em que ele surgia visivelmente bêbado e batendo a porta dos armários da casa dos dois.

No fim da batalha judicial entre o ex-casal, os atores fizeram um acordo em que reconheciam que "nenhuma das partes fez acusações falsas em troca de ganhos financeiros". Heard recebeu US$ 7 milhões, e distribuiu o dinheiro para organizações que auxiliam no combate à violência doméstica.

Em 2017, a Warner foi criticada por fãs por manter Depp na produção, mas tanto a autora J.K. Rowling quanto o diretor David Yates saíram em defesa do ator.