Topo

Festivais

Com Anitta e Ivete, Rock in Rio Lisboa quer ser mais que um festival de música

Divulgação/AgenciaZero.net
Palco Mundo é montado no Parque Bela Vista, em Lisboa, em Portugal Imagem: Divulgação/AgenciaZero.net

Felipe Branco Cruz

Do UOL, em Lisboa (Portugal)

23/06/2018 04h00

Neste sábado (23), quando os portões do Parque Bela Vista, aqui em Lisboa, forem abertos, o Rock in Rio dará início à 8ª edição do festival na capital portuguesa, que vai até o dia 30 de junho. O número é expressivo pois firma a cidade como o mais importante local para o evento depois do Rio de Janeiro.

Divulgação/AgenciaZero.net
Cidade do Rock de Lisboa terá um parque dos dinossauros Imagem: Divulgação/AgenciaZero.net
Com edições em Madri, na Espanha, e em Las Vegas, nos Estados Unidos, foi apenas em Portugal que o Rock in Rio descobriu sua verdadeira vocação e onde não sofre com críticas do tipo: “Rock in Rio não é rock”. Tanto é que a Cidade do Rock lusitana também é conhecida no país como "parque temático da música e do entretenimento".

A música, é claro, é parte fundamental do festival, mas a Cidade do Rock deste ano também terá áreas onde o rock não é o protagonista, como uma rua temática dedicada à cultura africana, um distrito que celebra a cultura pop e uma arena voltada para os videogames. Para fazer jus ao título de parque temático, o festival vai contar ainda com uma roda gigante, uma tirolesa, uma piscina (aberta ao público) e um mini parque jurássico com dinossauros mecatrônicos.

Anitta e Ivete Sangalo serão as grandes atrações brasileiras. Além delas, também estão no line up os brasileiros Emicida, Rael e Anavitória. Das atrações internacionais, os destaques são Muse, Bruno Mars, The Killers, Katy Perry, Bastille, Demi Lovato, Jessie J e The Chemical Brothers.

Divulgação/AgenciaZero.net
Rock in Rio Lisboa 2018 terá uma rua dedicada à cultura africana Imagem: Divulgação/AgenciaZero.net

Rio de Janeiro X Lisboa

Em número de edições, o Rock in Rio Lisboa supera o do Rio de Janeiro, já que a capital fluminense “só” abrigou o festival sete vezes. O preço dos ingressos, por sua vez, é equivalente. Em Lisboa, eles custam 69 euros por dia (cerca de R$ 300) e já estão esgotados. No ano passado, no Rio de Janeiro, eles custaram R$ 455 (inteira).

Da parte musical, Lisboa terá cinco palcos (Mundo, Music Valley, EDP Rock Street, Super Bock Digital Stage e Yorn Street Dance), por onde passarão centenas de artistas. Um número semelhante ao do Rio de Janeiro, que contou com sete palcos.

Em Lisboa, neste ano, não haverá o dia metal, como já ocorreu em outras edições. Então, você não verá na programação bandas como Metallica ou Iron Maiden. Além disso, serão apenas quatro dias de festival, enquanto no Brasil são sete dias no total.

A Cidade do Rock carioca também é maior. No ano passado, ela foi construída no Parque Olímpico, com 300 mil metros quadrados e espaço para 100 mil pessoas por dia. Em Lisboa são 200 mil metros quadrados para cerca de 70 mil pessoas.

Este será também o primeiro Rock in Rio sob a chancela da empresa Live Nation que, em maio deste ano, comprou 50% do festival da família Medina. A parceria, no futuro, vai possibilitar ao festival uma sinergia com outros eventos da Live Nation, que tem participações nos festivais mais importantes do mundo, como Lollapalooza, Bonnaroo e Austin City LImits, nos Estados Unidos, e Reading e Leeds, no Reino Unido.

Divulgação/AgenciaZero.net
Piscina é construída ao lado do palco Music Valley na Cidade do Rock em Lisboa Imagem: Divulgação/AgenciaZero.net

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!