Topo

Filmes e séries

Filme sobre o "tribunal da internet" traz discussão atual sobre justiça

Renata Nogueira

Do UOL, em São Paulo

12/04/2018 04h00

O filme "Aos Teus Olhos" chega aos cinemas nesta quinta-feira (12) carregando uma discussão quente e atual sobre justiça.

Depois de receber a acusação de ter beijado uma das crianças da turma, o professor de natação Rubens (Daniel de Oliveira) tem sua vida transformada em menos de 24 horas. Faltam provas e uma investigação mais apurada, mas o tribunal da internet não perdoa a grave acusação de pedofilia - e ele sofre as consequências mesmo antes da certeza de que é ou não culpado.

"É [um filme] sobre justiça. Todos são inocentes até que se prove o contrário. E isso não está sendo feito hoje", diz a diretora Carolina Jabor, que teve a ideia do filme há dois anos baseada na peça catalã "O Princípio de Arquimedes".

Enquanto diretora e elenco atendiam a imprensa, na quarta-feira passada, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aguardava a decisão do STF sobre um habeas corpus que o livraria ou não da prisão, e as ruas sediavam protestos contra e a favor à sua condenação. Lula foi preso no sábado (7). 

"O filme tem essa coisa da sociedade contra um indivíduo. São tempos muito duros que a gente vive, um tema delicado de tratar", resume.

Não é a primeira vez que tal coincidência acontece. Quando o filme passou no Festival do Rio e na Mostra de São Paulo, em outubro do ano passado, chamou a atenção por sua relação com o debate do momento, que era pedofilia.

Fazia pouco tempo que o vídeo da performance de Wagner Schwartz no MAM havia viralizado via Whatsapp e redes sociais, os mesmos meios que espalharam o caso do suposto beijo do professor no aluno na ficção "Aos Teus Olhos". O vídeo, que traz um trecho da performance do MAM em que uma criança e sua mãe tocam o pé do artista nu, foi o suficiente para que Wagner fosse acusado de pedofilia e recebesse até ameaças de morte.

LEIA MAIS

"Aos Teus Olhos tem uma vontade de falar sobre a atualidade. O filme parte daí. A realidade que a gente vive agora está se impondo. É devastador o que estamos vivendo na vida real. A minha escolha de fazer ficção é justamente para poder falar sobre realidade, poder me aproximar dela de alguma forma, e não fugir. É uma forma de tratar de assuntos que acho relevantes e merecem uma reflexão, e ter um olhar mais cuidadoso para não perder o rumo", comenta a diretora sobre as coincidências com sua obra de ficção. 

Carolina teve a chance de encontrar Wagner Schwartz depois da polêmica. O artista viu "Aos Teus Olhos" duas vezes e aprovou. "Ele ficou muito emocionado e sofreu com o filme. Pois se viu ali, e viu o outro lado. Viu o lado da mãe, das pessoas postando", explica a cineasta, que não dá desfecho para o seu filme. Assim como o título sugere, a ideia desde o início é gerar uma reflexão e levantar uma discussão a partir do ponto de vista dos personagens.

"Estamos julgando, condenando e destruindo pessoas e reputações em um clique, na viralização. O raio de ação da internet é muito grande. A gente não tinha noção, mas está tendo agora com o tamanho da repercussão de tudo o que cai na rede. Por isso o filme tem relação com a justiça. Espero que ajude e faça refletir um pouco sobre uma opinião que você vá dar e que possa ser um pouco precipitada", explica a diretora.

Ataques ao pai

Divulgação
Carolina Jabor, diretora do filme "Aos Teus Olhos" Imagem: Divulgação

Há 5 anos, Carolina Jabor sentiu na pele a força e o poder das redes sociais sobre uma reputação. Ela, que se diz discreta e pouco ativa no meio, se viu obrigada a ir até lá e defender seu pai, Arnaldo Jabor. O comentarista passou a ser atacado após uma frase ("esses revoltosos de classe média não valem nem 20 centavos") no "Jornal da Globo" sobre as manifestações em 2013. 

"O meu pai sofreu um ataque na internet em 2013 que foi muito injusto e viralizou de forma descontextualizada. O comentário dele foi um pouco precipitado, mas ele foi chamado de coisas que não poderia ter sido chamado. Isso me machucou. Me afetou também, e eu tive que defendê-lo na internet. Quando eu li a peça 'O Princípio de Arquimedes', isso estava na minha cabeça. Eu já tinha visto a força dessa disseminação, de como se alastram essas notícias."

O objetivo de "Aos Teus Olhos" é justamente levantar o debate sobre o atual uso das redes e trazer uma conscientização. "Se as redes sociais têm toda essa força, que ela seja usada para o bem, para coisas relevantes", finaliza.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!