PUBLICIDADE
Topo

Quatro shows que se destacaram na última tarde de Lollapalooza Brasil

Felipe Gabriel/UOL
Imagem: Felipe Gabriel/UOL

Rodolfo Vicentini

Do UOL, em São Paulo

25/03/2018 18h19

O Lollapalooza Brasil 2018 vai chegando ao fim de seus três dias de shows no Autódromo de Interlagos de São Paulo. Neste último dia de festival, com o sol a pino na cabeça das cerca de 80 mil pessoas, segundo a organização do evento, quatro atrações se destacaram na programação da tarde.

Quem chegou cedo para aproveitar ao máximo o evento, conseguiu prestigiar boas apresentações nacionais e internacionais.

Francisco, El Hombre

Francisco, el Hombre - Felipe Gabriel/UOL - Felipe Gabriel/UOL
Imagem: Felipe Gabriel/UOL

A primeira banda a tocar neste domingo no Lolla convocou a presença de Maria Gadu e Liniker -- e tudo deu certo. Ontem, a cantora de "Zero" deixou o palco aos prantos após os equipamentos falharem e seu show ter sido encerrado. A banda, formada por dois irmãos mexicanos naturalizados brasileiros, tocou uma mistura de ritmos latinos e batucada brasileira, que contagiou as mais de 200 pessoas no local. Com letras falando sobre os problemas sociais do país d empoderamento feminino, a apresentação ainda contou com homenagens à vereadora Marielle Franco, assassinada no Rio de Janeiro, e gritos de "Fora Temer" e "Fora Doria".

Braza

Banda Braza - Thiago Almeida/Divulgação - Thiago Almeida/Divulgação
Imagem: Thiago Almeida/Divulgação

A banda formada pelos ex-integrantes do Forfun arrastou bom público na abertura do Palco Budweiser. O clima de vibrações positivas dos cariocas colocou a galera para "bailar" debaixo de sol forte. O vocalista e guitarrista Danilo Cutrim comandou a festa, com ares de soundsystem jamaicano, rock e uma pitada de funk brasileiro. O toque plural da banda casou com o sol forte que teimou em aparecer novamente. Os arranjos dos dois álbuns de estúdios ainda ganharam detalhes surpresas com bom jogo ao vivo entre percussão e metais. O Braza ainda homenageou Ary Barroso, Chico Science e Charlie Brown Jr. "Com todo respeito aos gringos que tocaram aqui, mas salve muito a música brasileira", comemorou o vocalista e tecladista Vitor Isensee, antes de apontar o dedo na ferida. "Fascismo não, Marielle presente!".

Sofi Tukker

Sofi Tukker - Camila Cara/Divulgação - Camila Cara/Divulgação
Imagem: Camila Cara/Divulgação

O duo inglês eletrônico tem quase os quatro pés no Brasil. A dupla já tinha gravado algumas faixas em português e ainda fez parceria com Pabllo Vittar, por isso atraíram público grande ao Palco Ônix. A fofa Sophie Hawley-Weld agradeceu todo mundo em português com um leve sotaque. "Estão suando? Eu também!", brincou antes de convidar dois fãs que seguravam uma placa para dançar no palco. A showgirl mostrou uma energia impressionante, e pulou o tempo inteiro levantando a galera. Depois, ainda mostrou talento na guitarra com o riff distorcido de "Johnny".

Tropkillaz

Tropkillaz - Reprodução/Bis - Reprodução/Bis
Imagem: Reprodução/Bis

Achou que não ia ter Anitta no Lolla Brasil? Pois a dupla de produtores/DJs trouxe "Vai Malandra", parceria deles com a postar brasileira, que "apareceu" no palco em um vídeo exibido no telão. Já que Anitta não estava de corpo presente, MC Zaac entrou no agito. A galera que lotou o Palco Axe comprou a ideia de dançar funk em um festival conhecido pelas atrações mais alternativas e rebolou até o chão. Outro destaque foi a música nova "Milk & Honey", parceria com Aloe  Blacc, improvisando uma pista de dança fora do Palco Perry's, destinado especificamente ao gênero eletrônico.