PUBLICIDADE
Topo

Vilão de "Pantera Negra" usará "cláusula de diversidade" em novos trabalhos

Michael B. Jordan no papel do vilão Erik Killmonger, do filme "Pantera Negra" - Divulgação/Marvel
Michael B. Jordan no papel do vilão Erik Killmonger, do filme "Pantera Negra" Imagem: Divulgação/Marvel

Do UOL, em São Paulo

08/03/2018 07h26

Um dos atores em alta no momento, por seu papel em "Pantera Negra", Michael B. Jordan quer usar sua influência para aumentar a representatividade e a diversidade no mundo do cinema. Ele acatou a sugestão de Frances McDormand, no discurso que ela fez ao ganhar o Oscar de melhor atriz, no último domingo, e exigirá o uso da cláusula de inclusão em seus próximos trabalhos.

No Oscar, Frances fez um discurso forte e o encerrou assim: “Eu tenho duas palavras para vocês: cláusula de inclusão”. Essa cláusula, que pode ser colocada em qualquer contrato, é uma forma de um ator ou atriz exigirem que parte da equipe com quem trabalham tenha maior diversidade.

Na quarta-feira, Jordan falou sobre isso em seu Instagram: “Em suporte às mulheres e homens que lideram essa luta, eu vou adotar a cláusula de inclusão em todos os projetos da minha companhia, a Outlier Society. Eu tenho o privilégio de trabalhar com mulheres poderosos e pessoas de cor por toda a minha carreira, e a missão da Outlier é continuar criando espaços para indivíduos talentosos evoluírem”.

Além de “Pantera Negra”, ele já tem outros trabalhos prestes a serem lançados. Ele está em “Fahrenheit 451”, da HBO, que estreia em maio, e voltará a ser Adonis Johnson em “Creed 2”