Topo

Filmes e séries

Tarantino pede desculpas por defender Roman Polanski em caso de estupro

Reprodução/TV UOL
O diretor Quentin Tarantino Imagem: Reprodução/TV UOL

Do UOL, em São Paulo

08/02/2018 14h59

O diretor Quentin Tarantino se desculpou pelas declarações que deu em 2003, durante uma entrevista a radialista Howard Stern. Na ocasião, Tarantino defendeu o diretor francês Roman Polanski, que foi julgado culpado por estuprar em 1973 Samantha Geimer, que na época tinha 13 anos.

A entrevista foi resgatada pelo site "Jezebel" e repercutiu em todo o mundo. Tarantino sentiu o peso da opinião público e divulgou um comunicado oficial. Nele, o diretor afirma que ligou para Samantha para se desculpar.

"Eu quero me desculpar publicamente com Samantha Geimer por meus comentários no 'The Howard Stern Show' especulando sobre ela e o crime que foi cometido contra ela. Eu percebi o quanto eu estava errado 15 anos atrás. Samantha foi estuprada por Roman Polanski. Quando Howard trouxe a tona o tema Polanski, eu incorretamente assumi a posição de advogado do diabo no debate para ser provocador. Eu não levei em consideração os sentimentos dela e por isso eu estou muito arrependido. Então, Samantha, eu fui ignorante e insensível. Acima de tudo, incorreto. Me desculpe".

Na época, na entrevista, o diretor afirmou que o caso deveria ter sido tratado como sexo consentido com menor de idade, sem violência, já que a garota teria "concedido" o ato. Vale lembrar que a condenação de Polanski diz que ele teria drogado a garota. Ainda, de acordo com a legislação americana, uma criança não tem discernimento para consentir ou o ato sexual e presume que sempre há coerção do adulto.

"Ele não estuprou uma criança de 13 anos. Ele fez sexo com uma menor de idade. Não é estupro. Para mim, quando você usa a palavra estupro, você está falando de violência, de jogar a pessoa no chão. É um dos tipos de crimes mais violentos do mundo", disse o diretor na entrevista.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!