Topo

Virada Cultural

Público da Chácara do Jockey aprova descentralização da Virada Cultural

Mariane Zendron

Do UOL, em São Paulo

20/05/2017 20h37

O público que acompanhou o show de Liniker e os Caramelows na Chácara do Jockey, neste sábado (20), aprovou a descentralização da Virada Cultural.

Anna Motta, de 20 anos, iria boicotar o evento se Doria tivesse mantido a ideia de levá-la inteira para Interlagos. "Mas como ele voltou atrás, animei e estou gostando da programação, dividida por gêneros musicais."

Marcela Braga, 31 anos, disse que não iria ao show de Liniker se fosse na República: "Gostei porque sabia que seria mais tranquilo".

Amanda Perobelli/UOL
Liniker se apresenta no palco da Chácara do Jockey da Virada Cultural 2017 Imagem: Amanda Perobelli/UOL
Liniker subiu ao palco às 18h25 e cantou as músicas do álbum "Remonta". Ela acompanhou o "Fora Temer" puxado pelo público e comentou a nova configuração do evento. "Independentemente do espaço, o importante é que nossa voz ecoe", disse ela ao público.

"Enquanto nosso direito de falar não for vetado, todo grito é necessário", falou Liniker ao UOL logo após deixar o palco. "Mas nossa voz ecoa com consciência, a gente não está de bobeira no rolê", afirmou.

Márcia Jovini e Marcos Fernandes, 54 e 52 anos, acharam interessante poder conhecer novos espaços da cidade. "Daqui, iremos para os tablados do Centro."

A crítica do público do local foi em relação à falta de tendas ou ambulantes com bebidas e comida. Para conquistar uma cerveja ou uma água, era necessário sair da Chácara. "Cheguei com sede e nem água tem. Não esperava por isso."

A maioria do público ouvido pelo UOL chegou à Chácara de transporte público sem dificuldades. Morador da região na zona oeste de São Paulo, Ivy Lopes veio caminhando e Anna Motta veio de ônibus da avenida Paulista.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!