Topo

Livros e HQs

Na Comic Con, Frank Miller anuncia nova HQ no universo de "Sin City"

Guilherme Solari

Do UOL, em São Paulo

04/12/2015 17h11

Uma das atrações mais aguardadas deste segundo dia de Comic Con Experience, o quadrinista Frank Miller aproveitou a convenção para anunciar seu próximo projeto. Após "Cavaleiro das Trevas 3", ele vai trabalhar em um projeto chamado "Sin City 1945".

Sem dar mais detalhes, Miller disse apenas que a HQ envolve um agente secreto americano que enfrentará os nazistas. Pelo título, também é possível supor que o trabalho vai retornar ao universo de uma de suas séries de HQs mais conhecidas, com seu característico estilo noir, que já rendeu dois filmes, "Sin City" (2005) e "Sin City: A Dama Fatal" (2014).

O criador de HQs como "Batman: Cavaleiro das Trevas" e "300" recebeu o depoimento de muitos fãs emocionados. "Voce veio de tao longe para me agradecer? Eu que agradeço", disse Miller a um fã que o agradeceu por sua obra.

Mas nenhum fã ficou mais emocionado do que Caio Fochetto, que chorou ao pedir que Miller assinasse um exemplar de "300", e o ídolo se levantou, foi até ele e concedeu o desejo.

Miller foi simpático, mas respondeu laconicamente a perguntas sobre filmes e séries de TV baseados em sua obra."O quadrinho sempre foi tudo, desde pequeno. A minha mãe me falou que aos cinco anos eu já dizia que ia ser quadrinista. Demorou um pouco pra conseguir o trabalho, mas eu cheguei lá. Quadrinhos foram a única coisa que eu queria fazer".

O quadrinista contou que retratou Nova York inspirado na imagem que o seu pai tinha da cidade. "Era uma imagem muito romântica. É um parque de diversões gigantes para mim."

"Eu peguei uma história do [universo do] Homem-Aranha que ninguém queria. Iam cancelar o Demolidor, ele não vendia muito e era um super herói cujo poder afinal era não conseguir enxergar," disse Miller, que também ficou conhecido por excelentes arcos do "diabo de Hell's Kitchen".

Quando questionado se assistiu à serie do Demolidor, ele foi categórico: "Não". Ele deu a mesma resposta para a questão de se sente-se como pai da Electra.

Quando foi dito que seu trabalho foi inovador, Miller respondeu que é importante ver de onde suas influências vieram. "Se você olhar os que vieram antes de mim e me influenciaram, eu não fui sempre tão inovador assim".

Sobre "Sin City", Miller disse que se inspirou no "romance desesperado" da cidade, além do clima e da arquitetura. O quadrinista também afirmou que "300" não é uma historia política, como muitos costumam dizer. "É apenas um livro sobre um grupo de homens que luta contra um império gigantesco, que quer escravizar o mundo. Se isso é político, eu concordo com a minha posição política".

Trajetória

O trabalho mais conhecido de Miller é uma das histórias mais sombrias de Batman, "O Cavaleiro das Trevas" (1986). A minissérie apresenta Bruce Wayne já aposentado, obrigado a voltar à ativa após a aparição de novos vilões. A HQ também coloca Batman em conflito com Superman e inspirou o roteiro de "Batman vs. Superman: A Origem da Justiça", que estreia em 2016.

Mas não foi só na DC Comics que o artista se destacou. Pelo contrário: foi na Marvel que seu trabalho começou a despontar, quando ele assumiu o desenho das revistas do "Demolidor", em 1979. Mais tarde, em 1981, Miller passou a assinar também os roteiros do título, alçando as histórias do justiceiro cego a um novo patamar de popularidade. No comando das revistas, que assinaria até 1983, o quadrinista também foi responsável pela criação da mercenária ninja Elektra.

Miller ainda retornaria ao Batman e ao Demolidor em outras ocasiões. No cinema, além dos filmes de "Sin City", também dirigiu a adaptação de "The Spirit" e uma sequência para "Sin City", "A Dama Fatal" (2014). Durante a San Diego Comic-Con deste ano, Miller foi incluído no Hall da Fama Will Eisner dos quadrinhos.

Sadovski dá rolê por SP vestido de super-herói

UOL Entretenimento

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Livros e HQs