Topo

Filmes e séries


Estúdio de "Jogos Vorazes" e "John Wick" avalia opções para sair da crise

Cena do filme Jogos Vorazes (2012) - Divulgação
Cena do filme Jogos Vorazes (2012) Imagem: Divulgação

Anousha Sakoui e Nabila Ahmed

Em Los Angeles e Nova York (EUA)

24/06/2019 15h51

O estúdio que produziu "Jogos Vorazes", "Mad Men" e "John Wick" agora enfrenta sua própria crise existencial.

A Lions Gate Entertainment perdeu mais da metade de seu valor de mercado nos últimos 12 meses e agora enfrenta o desafio de conseguir novos campeões de bilheteria. Além disso, fusões recentes criaram gigantes no setor de entretenimento que ameaçam eliminar estúdios menores de Hollywood.

Tudo isso amentou a pressão sobre a Lions Gate, fundada há 22 anos, que agora avalia seu futuro: estar aberta a aquisições, vender uma participação ou tentar crescer para competir com as gigantes. A Lions Gate não quis dar entrevista.

O estúdio foi fundado em 1997 em Vancouver pelo investidor do setor de mineração Frank Giustra, um amante do cinema. Giustra ganhou fama distribuindo filmes como "American Psycho" e, com a aquisição da Summit Entertainment em 2012, foi alçado ao sucesso com filmes como "Crepúsculo". Este ano também lançou a franquia "Jogos Vorazes". (O estúdio anunciou na semana passada que pode haver um "prequel".)

Mas, como uma empresa de menor porte, a Lions Gate tem sido alvo de rumores sobre uma possível fusão. Empresas como a Metro-Goldwyn-Mayer, Sony e CBS estariam interessadas. No entanto, com a ação no nível mais baixo em sete anos, em cerca de US$ 12, o estúdio não estaria interessado em um acordo neste momento, disseram pessoas a par do assunto.

Outras estratégias estão em discussão. Uma delas é comprar uma participação na Miramax, a produtora de filmes que pertencia aos irmãos Weinstein, disse uma das pessoas. O atual proprietário, o beIn Media Group, recentemente procurou investidores interessados em uma participação minoritária. O negócio daria à Lions Gate acesso a uma biblioteca de filmes vencedores do Oscar, como "Shakespeare Apaixonado" e, mais recentemente, franquias ressuscitadas como "Halloween".