Topo

Pop


O que aconteceu com parentes e amigos de Michael Jackson dez anos após sua morte

Michael Jackson - Timothy A. CLARY / AFP
Michael Jackson Imagem: Timothy A. CLARY / AFP

De Nova York (EUA)

25/06/2019 13h39

O "rei do pop" Michael Jackson morreu em 25 de junho de 2009 e, durante as semanas seguintes a sua morte, sua família e seu círculo mais próximo capturaram o centro das atenções da mídia.

Mas o que aconteceu com eles passados esses dez anos?

Filhos

Michael Jackson fez todo o possível para proteger seus três filhos, Michael Joseph "Prince" Jr (22 anos), Paris (21) e Prince Michael II, apelidado de "Blanket" (17), da perseguição dos paparazzi. Ele até os obrigou a usar máscaras em público para ocultar sua identidade.

Após a morte de seu pai, os dois filhos mais velhos tomaram as rédeas de sua popularidade e participam ativamente das redes sociais.

Michael Joseph, o mais velho, disse que, embora não saiba cantar ou dançar, ainda espera desenvolver uma carreira na indústria do entretenimento e, em 2016, fundou sua própria empresa, chamada King's Son Productions.

Paris, a filha do meio, trabalhou como modelo para marcas como Calvin Klein e Chanel. Junto com seu namorado, Gabriel Glenn, ela formou a dupla de folk-rock The Soundflowers.

Sofrendo de depressão, Paris tentou o suicídio em 2013. Este ano, logo após a liberação de um documentário em que seu pai foi acusado de abusar sexualmente de duas crianças, ela negou rumores de uma nova tentativa de tirar a própria vida.

Blanket, nascido do ventre de uma mãe de aluguel que prefere ser chamada de "Bigi", ainda está no ensino médio e mantém uma vida discreta.

Sua aparição pública mais lembrada pode ser uma que ele involuntariamente estrelou, ainda um bebê. Foi em 2002, quando seu pai o segurou brevemente no lado de fora da janela de hotel em Berlim para mostrá-lo aos fãs.

Paris Jackson, Joseph "Prince" Jr e Prince Michael II - Getty Images/Reprodução/Montagem
Paris Jackson, Joseph "Prince" Jr e Prince Michael II
Imagem: Getty Images/Reprodução/Montagem

Pais

Joe Jackson, o patriarca autoritário e exigente do clã Jackson, com quem Michael teve um relacionamento tenso, morreu em 27 de junho de 2018 aos 89 anos.

Foi ele quem iniciou a dinastia familiar como agente do grupo Jackson 5 e promoveu a carreira de Michael e de sua irmã Janet.

Muitas vezes considerado um tirano, Joe nunca figurou no testamento do Rei do Pop e falhou em suas tentativas de obter algum tipo de benefício da herança de seu filho.

Katherine Jackson, mãe de Michael, tem agora 89 anos e desde a morte do artista é a tutora de seus três filhos.

Reprodução
Imagem: Reprodução

Irmãos

Janet Jackson, a mais nova dos irmãos Jackson, com 53 anos, é por esforço próprio um ícone da música pop. Nos últimos anos, ela fez turnês e também é conhecida por apoiar projetos de caridade com seu próprio dinheiro. Em janeiro de 2017, teve um filho, chamado Eissa.

Os irmãos de Michael - Jackie, Tito, Marlon, Jermaine e Randy - estão entre os que mais defendem seu legado cultural e musical, apesar das acusações contra ele. Eles também gravaram álbuns e fazem turnês.

Suas irmãs, La Toya, 63 anos, e Maureen, 69 anos, tiveram carreiras musicais de menor expressão.

La Toya, além disso, se aventurou na televisão e passou a ter seu próprio reality show.

Como seu pai, nenhum dos irmãos ou irmãs de Michael constou de seu testamento, o que levou a uma série de batalhas judiciais.

O espólio do falecido cantor é dividido entre organizações de caridade, sua mãe Katherine e seus três filhos.

The Jacksons se apresenta no Espaço das Américas, em São Paulo - Simon Plestenjak/UOL
The Jacksons se apresenta no Espaço das Américas, em São Paulo
Imagem: Simon Plestenjak/UOL

As ex

Debbie Rowe, uma enfermeira, tornou-se a segunda esposa do cantor em 1996 e é a mãe de seus dois filhos mais velhos, mas ela tem estado praticamente ausente na vida de Michael Joseph e Paris.

Após a morte de Jackson, ela chegou a um acordo com a mãe do cantor para visitar seus filhos.

Lisa Marie Presley, filha do lendário Elvis Presley, se casou com Michael em 1994. Ela sempre negou as alegações de que o relacionamento era apenas uma tentativa de abafar as acusações de pedofilia que já estavam pesando sobre o cantor na época.

"Eu realmente acredito que ele me amava tanto quanto podia amar a todos, e eu o amava muito", disse ela após sua morte.

Presley, que dedicou sua carreira à música, também foi casada com o ator Nicolas Cage e é mãe de quatro filhos.

Debbie Rowe e Lisa Marie Presley - Rick Diamond/Frederic J. Brown/Getty Images
Debbie Rowe e Lisa Marie Presley
Imagem: Rick Diamond/Frederic J. Brown/Getty Images

Médicos

Conrad Murray, 66 anos, é o médico que administrou o potente analgésico cuja dose causou a morte inesperada de Jackson devido a uma parada cardíaca.

Em 2011, após um julgamento com alta exposição na mídia, ele foi condenado a quatro anos de prisão.

Dois anos antes de cumprir sua sentença, foi liberado por bom comportamento. Embora ele tenha se declarado inocente, perdeu sua licença para praticar medicina em vários estados, e hoje ele mantém uma vida discreta.

Arnold Klein, dermatologista e amigo de Michael, morreu em 2015 aos 70 anos. O chamado "rei do colágeno" tratou o superstar de seu vitiligo, doença de pele que produz manchas brancas no corpo devido à falta de pigmentação.

Rumores que ainda persistem especulam que foi ele quem doou o esperma para os dois primeiros filhos de Jackson com Debbie Rowe, que era funcionária da clínica de Klein. Esses rumores nunca puderam ser confirmados.

O médico Conrad Murray - Reprodução
O médico Conrad Murray
Imagem: Reprodução

Advogados

A família de Jackson reclamou da administração de sua propriedade, que foi confiada ao advogado John Branca e ao falecido conselheiro do músico John McClain.

No entanto, Branca e McClain conseguiram converter as centenas de milhões de dólares em dívidas que o cantor deixou em ativos de mais de um bilhão de dólares.

O advogado John Branca - Chris Pizzello/AP Photo
O advogado John Branca
Imagem: Chris Pizzello/AP Photo

Mais Pop