PUBLICIDADE
Topo

Quadro de Picasso bate recorde mundial ao ser leiloado por US$ 179,4 mi

Leiloeiro Jussi Pylkkanen comanda venda do quadro "Les Femmes d"Alger (Version "O")" - Timothy A. Clary/AFP Photo
Leiloeiro Jussi Pylkkanen comanda venda do quadro "Les Femmes d'Alger (Version 'O')" Imagem: Timothy A. Clary/AFP Photo

De Nova York

11/05/2015 20h51

O quadro "Les Femmes d'Alger (Versão 'O')", do espanhol Pablo Picasso, tornou-se nesta segunda-feira (11) a obra mais cara a ser leiloada no mundo, arrematada por US$ 179.365.000 (cerca de R$ 546,9 milhões) na casa de leilões Christie's, em Nova York.

A pintura superou a marca absoluta de "Três Estudos de Lucian Freud", de Francis Bacon, vendido por US$ 142,4 milhões em 2013. O novo recorde foi alcançado após pouco mais de onze minutos de embate entre os interessados.

Pintada em óleo pelo mestre espanhol em 1955, a obra tem dimensões de 114 por 156,4 centímetros e retrata um harém. Faz parte de uma série de 15 quadros com os quais Picasso revisou em cubismo a obra homônima do francês Eugène Delacroix.

Segundo a Christie's, a expectativa era chegar a um valor final de US$ 140 milhões, mas vários concorrentes via telefone elevaram o oferta rapidamente até US$ 179.365 milhões, quantia que inclui uma comissão de pouco mais de 12%. O lance inicial era de US$ 100 milhões.

O quadro havia sido leiloado pela última vez em 1997, por US$ 48,4 milhões (cerca de R$ 144,4 milhões). É considerado uma das últimas obras de Pablo Picasso ainda em mãos privadas.

Fotografía cedida pela casa de leilão Christie's de "Les Femmes d'Alger (Versión 'O')", de Pablo Picasso - Efe - Efe
Parte do quadro "Les Femmes d'Alger (Versión 'O')", de Picasso, que bateu recorde
Imagem: Efe

RECORDE PARA ESCULTURAS

No mesmo leilão desta segunda, "O Homem Apontando" (1947), do suíço Giacometti Alberto Giacometti, bateu outro recorde, o de escultura mais cara já arrematada: US$ 141,3 milhões (cerca de US$ 421,4 milhões).

Sem precedentes, o leilão, intitulado "Explorando o Futuro Através do Passado", inclui uma seleta coleção de obras do final do século 19 até a atualidade. A expectativa da Christie's é arrecadar mais de US$ 970 milhões, algo inédito na história dos leilões de arte.

"É um ponto de virada na história da arte. É o leilão do século", disse à AFP Thierry Ehrmann, presidente da Artprice, líder mundial em informação de mercado, sobre a noite organizada pela Christie's.