PUBLICIDADE
Topo

"Friends", "Big Bang", "GoT": Séries que deveriam passar pelo VAR da Copa

Beatriz Amendola

Do UOL, em São Paulo

04/07/2018 04h00

Não tem pra ninguém: a grande estrela da Copa do Mundo 2018 é, até agora, o árbitro de vídeo -- ou VAR, para os íntimos. Usado ou não, ele é lembrado em todos os lances decisivos do campeonato mundial e já deixou sua marca. 

Mas sabe onde mais o VAR (sigla em inglês de "video assistant referee", ou árbitro assistente de vídeos) seria muito bem utilizado? Nas séries.  De "Friends" a "Game of Thrones", muitas delas têm furos e inconsistências que não passariam se a tecnologia fosse usada para tirar a prova. 

Listamos abaixo seis produções que poderiam ser postas sob a avaliação rigorosa do árbitro de vídeo. Confira:  

  • Reprodução

    "Friends"

    Não é fácil admitir, mas a sitcom clássica tem algumas inconsistências no roteiro, a começar pelas datas de aniversário dos seis amigos: Ross, por exemplo, tem 29 anos nas temporadas 3, 4 e 5, o que seria um pouco difícil, já que duas delas têm episódios especiais de Dia de Ação de Graças, que marcam a passagem do tempo. Já na sétima temporada, é dito que Rachel é a última da turma a fazer 30 anos, quando a primeira temporada havia estabelecido Joey como o mais novo. "Friends" ainda mostrou Rachel conhecendo Chandler nada menos do que três vezes. Uma delas acontece no primeiro episódio da série, quando, teoricamente, os dois já haviam até se beijado, anos antes.

  • Divulgação

    "The Big Bang Theory"

    O elevador quebrado do prédio onde moram Penny, Sheldon e Leonard já se tornou patrimônio da série, mas a produção se contradisse ao contar a origem do problema. Na primeira temporada, Leonard explica a Howard que o elevador já estava quebrado há dois anos. Na terceira temporada, porém, é revelado que o elevador havia sido danificado, na verdade, sete anos antes, e por causa de um experimento no qual Howard estava envolvido. Faltou coerência.

  • Divulgação/HBO

    "Game of Thrones"

    Nós amamos de paixão a série da HBO, mas temos que admitir: os malabarismos que ela faz com o tempo precisam passar pelo VAR já! Para começar, temos o Varys. Ele passou vários episódios viajando com o Tyrion, mas logo depois aparece em Dorne, para em seguida surgir indo embora de Meereen com Daenerys -- o que deixou muitos fãs confusos. E esse problema voltou a se repetir no penúltimo episódio da sétima temporada. Quando Jon Snow e companhia estavam prestes a ser cercados pelos Caminhantes Brancos, Gendry saiu correndo para enviar um corvo a Daenerys, e provou que tem habilidades de fazer inveja a Usain Bolt. O mesmo vale para o dito corvo, que cobriu em tempo recorde uma distância estimada em 2.400 km.

  • Reprodução

    "The Walking Dead"

    Carl perdeu a visão do olho direito na sexta temporada da série -- mas isso não o impediu de, na sétima, aparecer mirando uma arma usando justamente o olho direito. O ator Chandler Riggs assumiu a culpa pelo erro: "Parecia muito estranho ter que tentar colocar a arma no meu ombro esquerdo e apontar com o meu olho esquerdo. Foi muito estranho. Então eu pensei: 'Vou apenas esquecer a continuidade'". Mas essa não foi a primeira escorregada de "Walking Dead": a série já havia trocado magicamente de lado a tatuagem nas costas de Daryl. Em uma cena, ela apareceu à direita, e na outra, à esquerda. Leia mais

  • Divulgação

    "Gossip Girl"

    A principal revelação da série, a identidade da personagem-título, não fez sentido nenhum: tratava-se de Dan. O mesmo Dan que apareceu várias vezes, sozinho, reagindo com surpresa às notícias quentes da alta-sociedade nova-iorquina. Por que Dan iria se colocar como um dos personagens principais do blog, tecendo inclusive comentários maldosos sobre seus relacionamentos com Serena e Blair? E por que diabos ele iria revelar que traiu Serena, na segunda temporada? A menos que os criadores da série tenham concebido o personagem como um sociopata, "Gossip Girl" não sobreviveria ao árbitro de vídeo.

  • Reprodução/Youtube

    "Breaking Bad"

    Nem a série estrelada por Bryan Cranston, tida como uma das melhores já feitas, está imune a derrapadas. Situada em 2007, a produção veio a mencionar a morte de Osama Bin Laden, que só aconteceria em 2011 -- um erro admitido pelo criador Vince Gilligan. E, em uma cena protagonizada por Skyler, é possível ver a mão de um câmera atrás dela. Vale eliminação ou não?