PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Adriana de Barros


Após show cancelado em SP, lenda jamaicana U-Roy reúne multidão na Bahia

U-Roy reúne multidão em apresentação em Salvador - Antônio Chequer
U-Roy reúne multidão em apresentação em Salvador Imagem: Antônio Chequer
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

Colunista do UOL

03/02/2020 12h35

A festa de Iemanjá comemorada ontem (2), em Salvador, teve um gosto especial. A lenda jamaicana U-Roy encerrou sua turnê pelo Brasil com uma apresentação acompanhado pela banda MiniStereo Público e as participações de BNegão (Planet Hemp), Russo Passapusso (Baiana System), Marina Peralta, Lys Ventura, Magrão e Zak Starkey (filho de Ringo Starr) e da cantora australiana Sharna Liguz, a Sshh.

Na varanda do Bombar, espaço situado na rua Canavieiras, no bairro do Rio Vermelho, uma multidão acompanhou a apresentação que teve início por voltas 12h e seguiu até às 20h.

Na área interna, músicos das banda Attóóxxa, Baiana System, o rapper Rico Dalasam, além de produtores e curadores musicais comentavam sobre o momento especial com a presença o responsável pela criação do hip-hop. Há cinco décadas, ele fez as primeiras gravações com falas introduzidas nas melodias da música.

É o cara que inventou o que a gente faz. Se ele não existisse, eu e o Russo não existiríamos, nem Mano Brown, se bobear, não existiria"

O jamaicano U-Roy - Antônio Chequer
O jamaicano U-Roy
Imagem: Antônio Chequer
No show, foram apresentadas versões clássicas de cada artista sempre nos ritmos do dub, ragga e dancehall. Chico Science, morto há 23 anos, foi lembrado com uma versão de "A Praieira".

O integrante do Planet Hemp foi o cicerone de U-Roy no Brasil e ainda não havia digerido o fato de excursionar com o senhor de 77 anos. "Semana que vem ou daqui um mês vou saber o que foi cantar com o U-Roy".

A mini-turnê passou pelo Rio de Janeiro, incluindo uma apresentação na Associação Beneficente São Martinho e Rocinha, São Paulo e foi finalizada em Salvador. "Melhor lugar para encerrar não tem. Salvador é a Jamaica brasileira. Não teria melhor lugar para encerrar essa turnê", finalizou.

O cantor lamentou o cancelamento da apresentação que fariam no aniversário de São Paulo. "A gente achava que nosso som seria ideal para acalmar a galera, mas fomos informados que não poderíamos tocar por causa da violência e arrastões".

Multidão lota a rua das Canasvieiras no bairro do Rio Vermelho em Salvador - Antônio Chequer
Multidão lota a rua das Canasvieiras no bairro do Rio Vermelho em Salvador
Imagem: Antônio Chequer

Adriana de Barros