PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Adriana de Barros


Alice Caymmi e Àttooxxá estão juntos em novo álbum da cantora, "Elétrika"

Alice Caymmi prepara disco de inéditas - Jonathan Wolpert
Alice Caymmi prepara disco de inéditas Imagem: Jonathan Wolpert
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

Colunista do UOL

24/01/2020 07h00

"Sempre carreguei o estigma da loucura por um preconceito e abracei. Minha loucura é essa, transformar tudo em arte". Foi sobre "loucura" meu papo com a cantora Alice Caymmi, que lança "A Noite Inteira" hoje (24) com participação do grupo baiano Àttooxxá

Produzida por Gorky, Maffalda e Zebu da Brabo Music, a faixa foi composta por Rafa Dias e Chibatinha com colaboração da própria Alice. É a primeira do novo álbum da cantora, "Elétrika", com previsão de lançamento para este semestre.

Alice não faz mistério nenhum sobre o projeto. Tanto que ela estreia domingo (26), em São Paulo, o show da série Ensaios de Verão, com parte do repertório do disco ainda inédito.

A apresentação marca a inauguração do Galpão Oro, novo espaço de São Paulo, localizado no bairro da Barra Funda, o qual Alice abriu em sociedade com Talita Morais.

Leia abaixo trechos da conversa que tive com Alice na semana passada por telefone.

Adriana: "Elétrika" já tem uma data de lançamento?
Alice Caymmi: Ainda é muito complicado. Como a Brabo Music está envolvida e eles têm muito trabalho eu não tenho essa pressa. Sou vizinha deles e a gente vai fazendo o disco nos intervalos de outros trabalhos. A gente está se divertido muito.

Essas músicas foram compostas há um ano com todos compositores que curto. A gente saiu com umas setes músicas, algumas dessas ficaram no álbum. Comecei a produzir este trabalho em dezembro do ano passado e janeiro também trabalhei nele.

Esse "show de verão" é esquenta para mostrar o que vem por aí?
Já tem músicas inéditas. Já estou mostrando quase tudo nesse show.

Como você escolheu as participações e quem mais está além do Àttoxxá?
Ele [o single] foi produzido pelo Àttoxxá. E tem ainda outras participações mas não foram consolidadas.

Seu disco anterior, o "Electra" foi super elogiado e esteve em várias listas de melhores discos de 2019. O que "Elétrika" traz dele?
São quase duas faces da mesma moeda. É um desdobramento do "Electra". "Elétrika" é uma continuação da minha face pop.

Quando falamos Alice Caymmi vem a figura de uma mulher que faz loucuras quando na verdade você só é uma cantora. Como lida com esse rótulo de ser "louca"?
Sempre carreguei comigo o estigma da loucura por um preconceito das pessoas, mas acabei abraçando esse estigma. Estou destrichando essa imagem de várias maneiras possíveis. Vim como louca lá atrás, mas isso era só o começo. Não gosto de fugir do estigma. Minha loucura é isso aqui. Meu show, minha música e agora a criação desse espaço de arte. "Elétrika" é uma face mais jovem e mais forte. Vem depois "Electra" recarregar as baterias.
Sou uma artista imprevisível e quem faz algo imprevisível é chamado de louco. A imprevisibildiade da arte é boa, na política a gente não pode exercitar esta imprevisibilidade. Isso sim é loucura, a que tem que ser curada.

Galpão Oro é um novo espaço em São Paulo sob sua direção. Como pretende usá-lo?
É uma casa minha em sociedade com minha amiga Talita Morais. Sou responsável pela direção e curadoria da programação.

Em São Paulo há uma efervescência de arte muito grande e achei que faltava um pouco de pessoas que pensassem nessa arte. Queremos trazer os artistas para dentro desse galpão. Pensamos em exposições, oficinas, workshops, seminários e vários tipos de movimentação. Estudamos muito para abrir esse espaço. Nossa ideia é ter evento durante o dia também. Vai ser muito interessante.

É a primeira vez que tenho um lugar. Não serão mega eventos porque é um espaço para 300 pessoas, mas vamos compor uma agenda legal.

Serviço
Alice Caymmi
Quando: 26 de janeiro, às 15h
Onde: Galpão Oro - Rua Barra Funda, 897
Inf: R$ 20,00 (meia-entrada) e R$ 40 (inteira)

Adriana de Barros