PUBLICIDADE
Topo

Com Ludmilla e Belo ovacionados, Vou Pro Sereno faz DVD em 4 horas de show

Vou Pro Sereno lota a quadra da escola de samba Independente de Padre Miguel no Rio de Janeiro - Valtinho Fragoso
Vou Pro Sereno lota a quadra da escola de samba Independente de Padre Miguel no Rio de Janeiro Imagem: Valtinho Fragoso
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

Colunista do UOL

21/01/2020 02h06

Nunca ouviu falar de Vou Pro Sereno? Não precisa se sentir mal. Mesmo com uma carreira longeva, o grupo de samba tem muita força no Rio de Janeiro, menos em outros lugares, mas tem tudo para conquistar o Brasil.

Com status de "novo Fundo de Quintal", o quarteto formado por Alex Sereno (tantã e voz), Júlio César (pandeiro e voz), Paulinho (reco-reco e voz) e Rodrigo Tchutchucão (violão e voz) gravou ontem (20) o DVD "Jogando em Casa".

Alguns minutos antes das 19h, os sambistas subiram ao palco para cantar para mais de 10 mil pessoas que lotaram a quadra da Mocidade Independente de Padre Miguel, escola de coração dos integrantes, exceto do mangueirense Tchutchucão.

O público aproveitou o feriado de São Sebastião, celebrado no Rio de Janeiro, para cantar os sucessos conhecido dos cariocas nas quatro horas de show coroadas com as presenças de Belo, Netinho, Ludmilla, Mumuzinho, Tony Salles e Thiaguinho.

Clima nos bastidores

Netinho e Belo se encontram no camarim - Ale Tavares - Ale Tavares
Netinho e Belo se encontram no camarim
Imagem: Ale Tavares
Os integrantes não esconderam a ansiedade de subir ao palco e a alegria em reunir convidados de peso para as participações. Entre a maquiagem de um e descontração de outro, a preocupação era se os presentes estavam bem acomodados e recepcionados da maneira mais apropriada.

Os veteranos Belo e Netinho, em uma conversa nos corredores, comemoravam o fato de estarem juntos depois de tanto tempo. Eles são da mesma geração e marcaram uma época quando o auge do pagode de seus respectivos grupos, Soweto e Negritude Jr, dominaram as rádios do Brasil. "Quando encontrei o Belo hoje eu perguntei: como conseguimos chegar até aqui?", disse Netinho, que completa 50 anos de idade em 11 de julho.

Netinho orgulhava-se ainda em ter apresentado os meninos para a Nescau Produções, produtora de São Paulo responsável pela carreira dos artistas. "Batalhei muito para que eles [Vou Pro Sereno] fossem para São Paulo e acho que eles merecem esse evento. Acho que este é o ano que eles vão se revelar para o Brasil".

Embora tranquilo, como foi o primeiro a subir no palco, Belo não deu entrevista. Conversou com alguns amigos, jantou e subiu para o palco. Já Mumuzinho, co-produtor do DVD, chegou bem cedo ao local do evento. Participou ativamente dos preparativos do memorável show dos amigos.

Thiaguinho, Ludmilla, Tony Salles só deram as caras no momento do palco.

Convidados

Belo e Ludmilla foram os artistas mais esperados pelo público. Belo foi o primeiro a cantar com os meninos e foi ovacionado enquanto se apresentava. Foi ele também que recebeu o primeiro convite, assim que o registro do DVD teve data anunciada.

O palco foi dividido em três partes, sendo que a área superior remetia a um boteco com a presença de figurantes sentados à mesa ou dançando, a intermediária onde ficava a banda de apoio e a área mais próxima ao público onde ficavam músicos. Na segunda música a ser executada pelos convidados, todos saíam da parte superior.

O grupo de amigos de Realengo formado por Paula Vaz, Fabiana Silva, Sabrina Bezerra, Edilaine Silva e Henrique Menezes estavam com todas as músicas do set list na ponta da língua e aguardavam ansiosamente a presença de Ludmilla. Uma delas estava aflita para ter bateria do celular suficiente para registrar a performance da funkeira.

Ludmilla não só cantou as músicas do DVD e o sucesso "Teu Segredo", como no final levantou o público com "Verdinha", sua nova música que promete dominar o Carnaval 2020. Para deleite do público, Lud embalou um hit atrás do outro em um breve pout-pourri feito na medida para agradar o público e não tirar o brilho dos anfitriões.

A Bahia foi representada por Tony Salles, vocalista do grupo Parangolé, que transformou por alguns instantes a quadra da escola de samba em um corredor de trio elétrico do Carnaval de Salvador.

As coreografias do vocalista, que vestia uma calça branca bem justa, arrancou o fôlego dos fãs mais afoitos.

Intervalo

Por volta da 20h30, a produção fez uma pausa de cerca de 20 minutos para uma limpeza do palco. Tempo suficiente para o público, que estava desde às 16h a postos, se recompor. No final, perto de meia-noite, os próprios integrantes diziam que a quadra estava com ares de terreiro.

Os figurantes subiram ao palco para celebrar o sucesso do investimento que deve projetar finalmente o grupo para todo país.

Siga @AdrianaDeBarros

*A jornalista viajou à convite da produção do grupo

Entretenimento