PUBLICIDADE
Topo

Geraldo Azevedo lança inédita no dia em que faz 74 anos; ouça em 1ª mão

Capa do single "Um Paraíso Sem Lugar" - Divulgação
Capa do single "Um Paraíso Sem Lugar" Imagem: Divulgação
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

10/01/2019 15h20

Geraldo Azevedo aproveita a pausa do projeto O Grande Encontro, que mantém com Elba Ramalho e Alceu Valença, para mostrar uma música inédita de seu trabalho solo. Ele lança nesta sexta (11), dia em que completa 74 anos, "Um Paraíso Sem Lugar (Ela e eu)".

Gravada no Estúdio Umuarama, no Rio de Janeiro, a música chega acompanhada de um lyric vídeo assinado por André Menezes. A faixa estará disponível a partir desta sexta (11) na principais plataformas de música e traz as participações dos músicos Fábio Luna (bateria), Pablo Arruda (contrabaixo), Carla Rincon (violino), Alexandre Caldi (flauta) e Guga Mendonça (guitarra), além de Marcelo Caldi no piano e na sanfona. 

O cantor e compositor pernambucano conversou com a coluna sobre o lançamento e adiantou novidades com O Grande Encontro, Carnaval e o lançamento de um EP ao vivo.

Adriana: Você lança "Um Paraíso Sem Lugar (Eu e Ela)" no dia em que completa 74 anos. Há um significado ou foi mera coincidência?
Geraldo Azevedo: Foi uma decisão nossa na organização dos lançamentos. 2019 será um ano de muito trabalho. Além do single, lanço um EP de frevo e um DVD ao vivo. Como meu aniversário cai numa sexta-feira, dia de lançamentos nas lojas digitais, pensamos que seria simpático. O aniversário é meu, mas quem ganha é o público. 
 
Por que você demorou tanto para lançar uma canção inédita solo?
Lancei uma música inédita em 2016, com O Grande Encontro. "Só depois de muito amor" é uma parceria com Ábel Silva e está no CD/DVD comemorativo de 20 anos do projeto. Nos últimos anos me dediquei aos shows e a compor. Tenho muitas músicas inéditas para apresentar. Esse ano mostro algumas, mas ainda quero gravar um disco só de inéditas em breve. 
 
Você, Elba e Alceu darão continuidade ao "O Grande Encontro" neste ano que se inicia?
Sim, seguiremos fazendo shows juntos quando nossas agendas permitirem. Já temos data marcada em São Paulo no Espaço das Américas, no dia 6 de abril, será nossa terceira vez nessa casa desde que começamos a celebrar os 20 anos do projeto.
 
Qual sua recordação do Carnaval pernambucano? Ainda gosta da festa?
Gosto muito. Participo todos os anos da folia, em Recife e em cidades do interior do estado. São muitas lembranças. A celebração pelos 50 anos de "Aquela Rosa", no Marco Zero em 2017, é uma recordação que guardo com carinho. Foi um show lindo. Essa música é muito importante na minha carreira. Foi nossa primeira composição, minha e de Carlos Fernando, um amigo muito querido de quem sinto falta.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL