PUBLICIDADE
Topo

Johnny Monster lança o álbum "Canções de Desapego" em 2019; ouça 2ª faixa

Johnny Monster - Divulgação
Johnny Monster Imagem: Divulgação
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

01/12/2018 17h29

Ex integrante das bandas Rip Monsters e Daniel Belleza e os Corações em Fúria, Johnny Monster está com o álbum solo praticamente pronto para lançar no início de 2019. "Canções de Desapego" chegará às plataformas de música no início do ano, pelo selo ForMusic.

Em outubro Johnny mostrou a primeira música "Folhas de Outono" e, na última sexta (30), lançou a faixa "Inevitável". "Tenho bastante carinho pela letra [Inevitável]. Mais uma vez, é muito pessoal, investiga meus sentimentos e coloca para fora o texto de maneira bem direta, sem rodeios", comenta o músico.
 

A produção da faixa, que flerta com o groove e soul e é uma das mais diferentes do disco, conta com Edu Nader na bateria, Mário Camelo (Fresno) nos teclados, Júlio Pelloso no violoncelo, além de Cintia Tchy e Letícia Bello nos backing vocais. A produção é de Michel Kuaker do Wah Wah Estúdios. 

"Inevitável é sobre as emoções internas, aquilo que guardamos. Ela se relaciona bem com o restante do álbum, como as outras, ela busca esse conforto, um lugar melhor dentro de si mesmo, desapegando de coisas que não nos servem mais", complementa Monster.

Johnny Monster começou na música estudando percussão no Conservatório Souza Lima. Foi baixista e vocalista da banda Rip Monsters por oito anos, com a qual lançou quatro discos. Nos anos 2000, passou a integrar a Daniel Belleza e os Corações em Fúria, um dos grupos mais importantes do cenário alternativo. Com eles, gravou três álbuns e participou de diversos festivais, incluindo o Lollapalooza Brasil em 2012. 

Estreou como artista solo em 2009, com Solstício de Inverno, trabalho seguido pelo EP Plaine de Mongolie (2014).

Na entrevista [abaixo] com Gastão, seu ex-parceiro de Rip Monsters, Johnny revisita sua carreira.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL