Topo

Coluna

Adriana de Barros

Não é só no palco! Veja 8 artistas que também brilham nos campos de futebol

Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

06/07/2018 07h00

Em algumas horas, a seleção brasileira estará em campo em busca de uma vaga na semifinal da Copa da Rússia. Para avançar, o Brasil precisa vencer a Bélgica na partida desta sexta (6).

Na música, vários artistas já declararam seu amor ao futebol, e alguns provaram que não se destacam só no palco.

Samuel Rosa (Skank), Daniel, Michel Teló, Supla, Japinha (CPM 22), Chico Buarque, Alexandre Carlo (Natiruts) e o funkeiro WM sempre que têm uma brecha na agenda de shows se reúnem com os amigos para uma partida e não fazem feio.

Alguns chegaram a dividir o campo com craques. Supla com Neymar, Alexandre Carlo com Amoroso e Chico Buarque com Paulo César Caju.

No vídeo acima, foram selecionados momentos dos músicos em campo.

Thiago Duran/AgNews
Imagem: Thiago Duran/AgNews
Michel Teló: O amor do astro sertanejo pelo futebol foi herdado do pai. Até seu nome foi dado em homenagem ao jogador francês Michel Platini. Gremista desde criança e bom de bola, o cantor teve o gostinho de ver os maiores jogadores do mundo fazendo a coreografia de seu maior hit, "Ai Se Eu Te Pego". Na vitória do Brasil sobre o México, Teló fez versão de uma música dando aquela zuada na seleção mexicana e usou a hastag #mexicotchau


Alan Diniz/Divulgação
Imagem: Alan Diniz/Divulgação
Daniel: Torcedor do São Paulo, o cantor uniu suas duas paixões para arrecadar fundo às entidades assistenciais: a música e o futebol. Em 2000, criou o Daniel Futebol Clube e com times formados por amigos e artistas, rodou pelo Brasil realizando cerca de 150 partidas. "O futebol sempre foi uma paixão para mim e quando tive a oportunidade de aliar isso à solidariedade, a felicidade foi total. O projeto percorreu diversas cidades em dez anos e guardo momentos inesquecíveis dessas partidas, quando o que mais importava mesmo era a arrecadação de alimentos, roupas e até bolsas de sangue", disse Daniel.

Arquivo pessoal
Imagem: Arquivo pessoal
Supla: Um verdadeiro craque. Assim falam os colegas sobre atuação do santista nos campos. Mas de onde vem essa paixão pelo esporte? "Meu avô foi um dos fundadores do Santos e meu pai é santista. Os meus vizinhos também eram santistas. Quando meu pai não podia, o pai do meu vizinho me levava ao estádios. E quando você vê de perto, a torcida, o gramado e a bola rolando isso causa um enorme impacto. Ao mesmo tempo que tive uma banda de rock aos 13 anos chamada "Os Impossíveis" tinha um time de futebol, com os mesmos amigos. Como todo brasileiro também achava que podia ser um jogador profissional. Podem até me xingar, mas em todo lugar eu desequilibrava. Podia ser com os playboys ou maloqueiros", lembra.

Divulgação
Imagem: Divulgação
Japinha (CPM22): Baterista do CPM22 foi destaque como grande artilheiro de todas edições do Rock Gol. Ele chegou a somar 58 gols no campeonato promovido pela extinta MTV. No camarim do show do Call The Police, em São Paulo, no último mês, Rodrigo Santos (ex-Barão) convocou o baterista para uma pelada no Rio de Janeiro, que topou prontamente. "O futebol, assim como a música, sempre me moveu. Desde moleque são paixões que me emocionam, me fazem passar horas sem perceber praticando. Esqueço fácil dos problemas jogando bola ou tocando. Coisas boas da vida!"

Sérgio Castro/Folha Imagem
Imagem: Sérgio Castro/Folha Imagem
Samuel Rosa: A paixão do vocalista do Skank pelo futebol é escancarada. A música "É Uma Partida de Futebol" é uma declaração de amor ao esporte. Samuel está eufórico com a Copa, acompanha todos os jogos e está confiante em ver o Brasil na final. No Rock Gol da extinta MTV, que reunia astros da música nacional, ele sempre foi destaque. Das 15 edições que foram ao ar, o Skank conquistou três títulos e sempre se manteve entre as primeiras posições.

Reprodução
Imagem: Reprodução
Alexandre Carlo: Flamenguista roxo por influência dos pais, o cantor do Natiruts por pouco não se profissionalizou como jogador. Nas equipes que atuou no Rock Gol, Alexandre também sempre teve destaque e foi eleito como um dos principais artilheiros. Chegou a fazer cerca de 35 gols. Em entrevista em 2016, o cantor declarou que já esteve nas categorias de base de Brasília alimentando o sonho de um dia jogar no Maracanã pelo Flamengo. "O time está jogando por música. É a conexão que sinto por essas duas paixões."

Ana Carolina Fernandes/Folhapress
Imagem: Ana Carolina Fernandes/Folhapress
Chico Buarque: Todo mundo conhece a fama do cantor pelo seu amor ao futebol. E também não é segredo o quanto ele é bom de bola. O esporte ocupa enorme espaço em sua obra. As célebres peladas de Chico são famosas no Rio de Janeiro, assim como sua torcida pelo Fluminense. O compositor carioca fundou o time de futebol Politheama, onde pode bater uma bola com Bob Marley, em meados de 1980, única vez que o jamaicano esteve no Brasil.



Divulgação
Imagem: Divulgação
MC WM: Funkeiro autor de "Fuleragem" garante que é o craque da quebrada. Para provar que é bom no futebol, o MC faz embaixadinhas no palco ostentando a bola no ar por longo período. Nos jogos com  outros MCs, WM sempre fica em evidência pelos golaços que marca com categoria. Para o Mundial da Rússia, WM lançou "Copa do Bumbum" em parceria com Léo Santana.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!