Topo

Coluna

Adriana de Barros

3 em 1: Em nova turnê, Claudia Leitte terá momento intimista, palco e trio

Fred Othero
Claudia Leitte estreia a turnê "My Carnaval" Imagem: Fred Othero
Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

25/05/2018 07h00

Após o sucesso do bloco Largadinho no Carnaval de São Paulo, que arrastou cerca de 2 milhões de pessoas na avenida 23 de maio, Claudia Leitte escolheu a capital paulista para estrear a turnê "My Carnaval", que também conta sua festa Blow Out. "Carnaval" é o nome do mais recente single que a cantora gravou em parceria com rapper americano Pitbull, cujo tema será base do novo show.

As apresentações dão sequência às comemorações de dez anos da carreira solo de Claudia, reunindo sucessos desde os tempos de Babado Novo até a fase atual, com faixas como "Lacradora", "Baldin de Gelo" e "Pode Ter".

Em entrevista exclusiva à coluna, a cantora adiantou o formato do show que fará dia 1º junho no Campo de Marte, em São Paulo. Claudia Leitte também confessa que não perde um capítulo de "Segundo Sol", novela das 21h da Globo, que tem como cenário a Bahia.

Adriana: "My Carnaval" foi uma maneira que você encontrou de ter folia o ano todo? O que pode adiantar da turnê?
Claudia Leitte:
(risos) Esse show é parte da celebração dos meus dez anos de carreira solo, que planejamos para 2018. Falamos dessa trajetória por meio das músicas e, portanto, não tinha como não ser um verdadeiro Carnaval. A música que inspirou cada momento desse show foi "Carnaval", minha parceria com Pitbull, que esteve pela primeira vez num bloco em Salvador.

Seu bloco de Carnaval em São Paulo foi um estouro. Estrear a turnê na capital paulista tem a ver com isso?
Sim! Definitivamente! São Paulo sempre me recebeu com muito amor, e o Carnaval de Salvador é a festa mais democrática do mundo. Em toda minha caminhada sinto que o paulista é louco por axé!

Fred Othero
Show será dividido em três atos Imagem: Fred Othero
No show de São Paulo você se dividirá entre trio elétrico e palco convencional. Deve levar este formato para outras capitais? A logística é muito complicada?
Também estou trazendo a praia para São Paulo, um momento mais intimista do show. São, portanto, três atos. Eu sempre brinquei que sou uma cantora triatleta e, portanto, a “Prainha da Claudinha” também vem. São 3 shows em 1. Palco, trio e este momento mais intimista, tudo isso numa noite só. O Carnaval é plural. Você já viu David Guetta, Pitbull, Elba, Aviões e o Angra no Carnaval. Vale tudo! A logística é bem complicada! Mas, não é uma novidade pra mim. Fiz a dobradinha palco e trio no início da minha carreira. É a primeira vez que faço em três momentos. Em alguns lugares onde teremos shows não será exatamente igual, mas as adaptações já existem para que o clima seja o mesmo.

Em qual "palco" você se sente mais a vontade, no convencional ou no trio?
São duas coisas muito diferentes. No trio tem uma mudança constante de público. No palco há um roteiro e uma multidão que espera sempre mais. Ambos me desafiam a surpreendê-los.

A novela "Segundo Sol" resgata sucessos do axé dos anos 1990. Você acha que isso pode ajudar o gênero a retomar a força?
Quando eu comecei no Babado Novo, meu empresário queria me colocar numa  banda de pagode: "Você será a primeira cantora do gênero do Brasil, pois o axé morreu!". Eu disse que eu queria ser cantora de axé. Isso foi há 15 anos. Na época, para mim, a música baiana era o máximo. Pra ele, como empresário, estava morta! Entendo que a música popular tenha momentos de pico, mas, com toda certeza, não é uma boa estratégia que faz o sucesso dela. Acredito que a essência do axé é o talento dos artistas baianos, a capacidade de renovação de cada um e a adaptação do nosso cenário aos tempos atuais. Aliás, isso não é peculiar ao axé. É pra todo mundo! Pra vida, né? Se o axé não fosse o que é, eu não estaria fazendo uma parceria com Pitbull, não teria me apresentado na Copa com ele e J-Lo e nem assinado com a Roc Nation, não teria feito nada do que fiz. Cheguei aqui porque minha música baiana me deu os alicerces de minha história e me deu um diferencial. Lógico que é sensacional ver o nosso som, nossa cultura, nosso sotaque na televisão. Mas, veja bem, é o nosso axé que está ilustrando essa trama maravilhosa. Estou assistindo todo dia e estou achando tudo lindo! A Bahia é linda! (risos)

Em 2017, você se dividiu entre a música e televisão. Este ano podemos você estará focada na carreira musical? Além da turnê, o que mais deve vir?
Esse ano tem mais música e mais televisão. Estou trabalhando muito em novas parcerias e me divertindo igualmente. Essa turnê é uma grande realização.

Na Copa passada, você cantou a música oficial do Mundial. Pretende de alguma maneira homenagear a Copa da Rússia?
Acho que nossas emoções sempre se transformam em música. Como boa torcedora, temos cá nossos gritos de guerra.

Serviço
Claudia Leitte em “My Carnaval”
Quando: 1 de junho – sexta, a partir das 22h
Onde: Campo de Marte
Informações: www.sympla.com.br

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!