Topo

Coluna

Adriana de Barros

Lenine subverte mercado e lança "ao vivo" e turnê antes de ir para estúdio

Marcos Ferreira/Brazil News
Lenine lança projeto com CD, DVD, doc, vinil e turnê Imagem: Marcos Ferreira/Brazil News
Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

11/05/2018 15h41

Vinte dias foram suficientes para Lenine planejar seu novo projeto, que contempla o lançamento de CD, DVD e LP, além de um documentário com exibição no Canal Brasil e turnê por 12 capitais brasileiras. "Lenine em Trânsito" começa a circular a partir desta sexta (11).

Primeiro, o álbum chegará às principais plataformas digitais com suas 10 faixas. No dia 19 de maio, o cantor sobe ao palco da Concha Acústica, em Salvador, para apresentar o show de estreia. No dia 1° de junho, o CD físico chega às lojas, e dois meses depois serão lançados DVD e vinil. 

Não por acaso, o single "Intolerância" foi o primeiro a sair, na semana passada. "Ela [intolerância] reina. Está presente em cada um dos avatares. Tem uma certa urgência falar dessa intransigência", explica o cantor.

Divulgação
Capa do álbum "Lenine em Trânsito" Imagem: Divulgação
Lenine calcula finalizar o processo daqui a dois anos com a gravação de "Transitado". Se em "Em Trânsito" ele apresenta canções gravadas ao vivo, em fevereiro, no Imperator, no Rio, no próximo álbum entrarão canções inéditas do show produzidas em estúdio. "O sentido inverso faz burlar o sentimento de repetição", diz ele, que considera o trabalho como uma ruptura na experimentação que costuma carregar em cada CD.

O músico classifica "Em Trânsito" como um disco "familiar", não somente pela presença dos filhos Bernardo, Bruno e João, mas por ele ter por perto a banda que o acompanha há muitos anos. "Soa como banda de rock. Talvez seja o projeto mais de banda que já fiz". Lenine diz que tal "assinatura coletiva" foi um grande acerto do projeto.



Meu rivotril

A relação de amor de Lenine com as orquídeas segue firme e forte. Ao ser questionado se continua um "orquidoido", como já foi chamado, Lenine diverte-se ao dizer que está uma fase acima: "Sou orquidólatra".

Embora tenha ciência da dificuldade em alcançar sua meta, o sonho de criar um banco genético com cerca de 2.500 espécies vai de vento em popa. "O sonho continua, mas é difícil de realizar", fala.

Para conciliar flores e shows, o músico criou uma rede de amigos especializados em orquídeas.

"Oi, é o Oswaldo. Soube que você gosta de orquídeas." É assim que o cantor estabelece contato com moradores de cada cidade em que faz show.

Com o anonimato, ele consegue colocar o interesse comum pela planta em primeiro plano. Com essa estratégia, recebe as flores que compõem seu orquidário que tem mil espécies.

"Ao entrar no meu orquidário, ela [planta] ganha todas as informações: espécie, nome de quem deu e cidade. Sempre que alguma flore consulto esses dados. Cada planta é uma pílula de memória."

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!