Topo

Coluna

Adriana de Barros


Planet Hemp lembra passado de CDs recolhidos e shows cancelados em mini doc

AgNews
BNegão e Marcelo D2, integrantes do Planet Hemp, cantam músicas com letras sobre a legalização da maconha Imagem: AgNews
Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

2017-12-22T16:58:34

22/12/2017 16h58

A banda Planet Hemp disponibilizou nesta sexta (22) o mini documentário "Planet Hemp - A Vitória Não Virá por Acidente", que destaca os altos e baixos da banda na luta pela regulamentação da maconha no Brasil.

No vídeo de cinco minutos são mostrados episódios de repressão com a banda de Marcelo D2, que acontecem desde 1995, mas se intensificam em 1997, após ter vários shows cancelados e CDs recolhidos. Os integrantes chegaram a ser presos e passaram cinco dias encarcerados, o que trouxe muita visibilidade aos cariocas e ao debate sobre a legalização da maconha.

Na década seguinte, o caso influenciaria não só outras bandas, como toda uma geração, que citando as letras de "Legalize Já" e "Não Compre Plante", na internet ou nas marchas, mantiveram aceso o debate sobre a legalização da maconha.

A discussão da legalidade da Marcha da Maconha chegou ao STF, que declarou sua legitimidade em 2011, em uma audiência histórica, na qual a prisão do Planet Hemp foi citada como uma "interferência brutal do processo de produção intelectual e artística".

Na década presente o Brasil, acompanhando uma tendência mundial, passou a discutir e regulamentar o uso da maconha medicinal. As mudanças, no entanto, acontecem longe das esferas legislativas, e sim através de iniciativas da sociedade civil no judiciário, que em suas últimas decisões vem garantindo salvo condutos e habeas corpus para usuários medicinais cultivarem maconha em casa.

Por conta dessa luta diária, que atravessa gerações, ativistas repetem os versos do Planet Hemp, “Nossa vitória não será por acidente”.