PUBLICIDADE
Topo

Aos 63 anos, Rita Cadillac vira musa fitness em seu primeiro videoclipe

Rita Cadillac no set de filmagem do primeiro videoclipe da carreira - Divulgação
Rita Cadillac no set de filmagem do primeiro videoclipe da carreira Imagem: Divulgação
Adriana de Barros

Colunista de Música do UOL, onde atuou 20 anos na área de Entretenimento, com coordenação de coberturas em grandes festivais e do Carnaval. É curadora do edital 2020 Natura Musical e integrou o Superjúri 2019 do Prêmio Multishow. Eleita uma das cinco melhores jornalistas musicais do Brasil pelo WME Awards by Music2. Apresentadora do podcast Fala Zé na rádio Energia 97 ao lado de Zé Antônio Constantino e Hélio Cosmo Leite.

04/09/2017 15h59

Foi em 1985 que Rita Cadillac se arriscou como cantora lançando "É Bom Para o Moral". No filme "O Carandiru", a ex-chacrete chegou a fazer uma cena entoando versos e rebolando para os detentos. Trinta e dois anos depois, a música ganha um videoclipe que traz Rita como musa fitness.

Rita Cadillac e o ator argentino Juan Manuel - Reprodução/Instagram Juan Manuel - Reprodução/Instagram Juan Manuel
Rita Cadillac e o ator argentino Juan Manuel
Imagem: Reprodução/Instagram Juan Manuel
Em uma academia de São Paulo, ela relembra os tempos de chacrete na coreografia criada pela dançarina Fernanda Fiuza. Amigos famosos como Sonia Abrão, Mara Maravilha, Fabíola Reipert, Thiago Rocha, Silvetty Montilla, Tchaka, ex-BBB Di Cesar, entre outros, também participam do vídeo dirigido por André Kostta e Roberto Rodrigues. Na tarde desta segunda (4), o ator argentino Juan Manuel Tellategui grava a participação especial.

O lançamento deve acontecer enquanto a "musa dos detentos" participa da nova edição do reality "A Fazenda", da TV Record.

Para a artista "bom para o moral" é cuidar da saúde, ser feliz, praticar sexo seguro e tratar bem as pessoas. Pensando nisso, os diretores criaram um roteiro em que Cadillac incorpora uma atleta aos 63 anos. 

A música também ganhou uma nova edição remix feita pelo produtor Márcio Mazolla, que pode ser escutada em primeira mão abaixo.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL