Coluna

Adriana de Barros

Onipresença da Nação Zumbi marca primeiro dia do Mimo Festival em Portugal

Adriana de Barros

Adriana trabalha no UOL desde 2000, passou pelas rádios Mix FM, 97Rock e pela gravadora Sony Music.

22/07/2017 11h58

Os homens caranguejos da Nação Zumbi mostraram aos portugueses o que trazem no cérebro durante sua passagem nesta sexta (21) pelo Mimo Festival Amarante, em Portugal.

Durante o dia, era possível cruzar com os integrantes da banda pernambucana circulando pela pequena cidade. Ora compartilhando conhecimento musical, ora falando sobre a política brasileira, e, claro, finalizando com um show na madrugada, que botou o público para chacoalhar no Parque Ribeirinho, montado às margens do Rio Tâmega, que cruza o município.

O primeiro a bater cartão foi o percussionista Toca Ogan, uma das atrações do Programa Educativo, onde deu workshop de percussão e depois saiu pelas ruas da cidade com um pequeno grupo mostrando os batuques com DNA nordestino.

Divulgação
Lúcio Maia durante o Fórum de Ideias Imagem: Divulgação
Na sequência, já início da noite, o guitarrista Lúcio Maia e o baixista Dengue foram sabatinados no Fórum de Ideias. Os músicos dissecaram os quase 30 anos de banda, relembrando desde o início do manguebeat movimento surgido no Recife nos anos 1990 trazendo como principais características nas letras as críticas ao abandono do mangue e a desigualdade social até os fracassos como o disco que cantaram o repertório do Mundo Livre S/A e o trágico acidente que levou o líder da banda Chico Science a morte. "Quando Chico morreu, apareceram várias pessoas querendo o lugar dele, mas optamos por apenas chorar e viver aquele momento triste. Ficamos sem grana e sem planos. Depois tudo foi acontecendo naturalmente", explica Maia.

A pergunta final foi sobre a crise política vivida no Brasil. O guitarrista aproveitou para mostrar a posição da banda, a mesma que quebrou o protocolo durante a cerimônia de encerramento dos Jogos Paralímpicos do Rio de Janeiro, no Maracanã, quando o músico aproveitou um momento da apresentação para virar a parte de trás da guitarra e exibir um cartaz de "Fora, Temer".

Adriana de Barros/UOL
Público mostra cartazes de "Fora Temer" em show da Nação Zumbi em Portugal Imagem: Adriana de Barros/UOL
No início da madrugada, durante o show, algumas pessoas do público continuaram a mostrar os mesmos cartazes mais pra chamar a atenção dos integrantes do que como forma de manifesto. Tentaram algumas vezes, sem sucesso, iniciar um coro de "Fora Temer". O vocalista Jorge Du Peixe chegou a se irritar: "O cara vai sair. Vamos agora curtir o show?", cortando a onda dos "manifestantes". Pouco mais adiante, deu início a "Novas Auroras" do álbum homônimo de 2014. "Desejamos boas e novas auroras pro Brasil. Logo menos a ficha cai", disse em tom otimista.

Enquanto esteve no palco, Du Peixe fez questão de falar algumas vezes o nome da banda como "Chico Science e a Nação Zumbi" frisando que era importante o público não esquecer da existência do fundador do grupo, morto em fevereiro de 1997.

Entre as músicas cantadas estavam "Foi de Amor", "Cicatriz", "Um Sonho", todas do mais recente álbum da banda. Mas o que botou os portugueses para cantar foram "Blunt of Judah" e "Maracatu Atômico". No bis, a banda convidou Rodrigo Amarante que faz show no domingo (23), último dia do festival. Ele dividiu a bateria com Pupillo em "A Praieira". "Quando a Maré Encher", música de Fábio Trummer, Berna Vieira e Rogerman, encerrou a apresentação por volta das 2h30.

Rock in Rio e disco novo

Um CD só com versões está pronto e será lançado pela Nação no mês que vem. O repertório traz canções de Tim Maia, Roberto e Erasmo Carlos, David Bowie, Prince, Marvin Gaye, Secos & Molhados e outras músicas favoritas do grupo. O outro, de inéditas, continua em processo de composição "num ritmo bem lento", segundo o baixista Dengue. "Estamos com a vontade de um som tenso, de leveza nada, a gente quer peso", antecipa.

O foco maior está nos ensaios para a apresentação que farão com Ney Matogrosso nesta edição do Rock in Rio, que acontece em setembro. Entre as parcerias mais aguardadas desta edição do Palco Sunset, juntos, revisitarão a carreira do Secos & Molhados e da Nação Zumbi. Em maio, eles deram uma palhinha do que deve rolar no palco com a nova versão de “Amor”, clássico setentista da ex-banda de Ney.

Mimo Festival Amarante 2017

Outro brasileiro que fez show neste primeiro dia de Mimo foi Jards Macalé. O público lotou o Museu Amadeo de Souza-Cardoso para acompanhar a interpretação de Macalé para clássicos da MPB. Depois da apresentação, o músico seguiu para acompanhar o show da Nação Zumbi no palco principal do evento. Os grupos Três Tristes Tigres (Portugal) e Tinariwen (Mali) também foram atrações desta sexta (21).

A segunda edição internacional do Mimo Festival segue até domingo (23) na cidade de Amarante, norte de Portugal, a 60 quilômetros de Porto. 

Após a edição portuguesa, cinco municípios brasileiros recebem o festival este ano: Paraty (6 a 8 de outubro), Rio (10 a 12 de novembro) e Olinda (17 a 19 novembro), além dos circuitos menores em Tiradentes (28 a 29 de setembro) e Ouro Preto (29 a 30 de setembro).

Veja aqui a programação completa do Mimo Festival no Brasil.

Trecho de "Banditismo por uma Questão de Classe" tocada em Amarante

*A jornalista viajou a convite do Mimo Festival

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Adriana de Barros
Topo