UOL Entretenimento 29º Bienal de Arte
 
17/09/2010 - 13h35

Paralela quer complementar Bienal e ajudar a entender arte brasileira conteporânea

ANTONIO FARINACI
Colaboração para o UOL
  • Obra sem título, da série Água Pesada, de Pedro Motta, um dos trabalhos da Paralela

    Obra sem título, da série "Água Pesada", de Pedro Motta, um dos trabalhos da Paralela

A mostra de arte Paralela 2010 reúne, a partir da próxima quarta-feira (22) em São Paulo, trabalhos de 82 artistas contemporâneos no Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo. Nesta sua 5ª edição, a mostra que tradicionalmente acontece ao mesmo tempo que a Bienal Internacional de Arte de São Paulo tem curadoria de Paulo Reis.

Organizada por iniciativa de quatro das maiores galerias de São Paulo, o evento é aberto à participação de artistas de fora da seleção de seus idealizadores. "O curador tem liberdade de escolher qualquer artista vivo, produzindo atualmente, que seja representado por uma galeria da cidade", explica Reis, que concebeu o eixo curatorial focado em artistas jovens que começaram a carreira a partir dos anos 90. "A Bienal está muito mais vocacionada para os anos 70 e alguns experimentos dos anos 80. Pretendemos oferecer um panorama complementar que ajude a entender a arte feita no Brasil hoje", conta o curador.

  • Divulgação

    Instalação "Acusma", do grupo Chelpa Ferro, obra que está na seleção da mostra Paralela 2010

"Inicialmente, queríamos fazer a mostra com 100 artistas, mas a lista tinha nomes que já iam participar da Bienal", conta Reis. Os nomes "duplicados" foram, por fim, excluídos. "Nossa intenção não é 'competir' com a Bienal'".

O tema da Paralela 2010 é "A Contemplação do Mundo", título de livro do autor francês Michel Maffesoli. O filósofo é considerado o fundador da "sociologia do cotidiano" e criador de conceitos como o de "tribo urbana" e "nomadismo cultural". "Ninguém é mais 'nômade cultural' do que o artista contemporâneo, que percorre várias partes do mundo carregando parte de sua cultura, mas também se apropria e é tocado por outras culturas", reflete Reis.

O curador vive em Portugal desde 2004, onde dirige o centro cultural Carpe Diem Arte e Pesquisa, em Lisboa, e de onde edita a revista de arte contemporânea "Dardo Magazine", direcionada para o público portugês, brasileiro e espanhol. Ele considera que hoje a arte contemporânea brasileira é vista com muita expectativa nos mercados europeus.

"Nomes como Cildo Meirelles e Ernesto Neto, por exemplo, já gozam de tanto prestígio nas artes plásticas quanto Tom Jobim e Caetano Veloso na música", acredita o curador. "Mas há, além deles, um grupo de artistas que tem trabalhado muito no exterior para divulgar a arte brasileira, como Adriana Varejão, Jarbas Lopes, Marepe, Sandra Cinto, Laura Belém, Marcellvs L. e Tonico Lemos Auad, todos esses nesta edição da Paralela".

A Paralela é uma iniciativa das galerias Casa Triângulo, Fortes Vilaça, Luciana Brito e Luisa Strina, e, desde sua segunda edição conta com um curador responsável pela escolha dos artistas. Até a 4ª edição, a curadoria ficou a cargo de Moacir dos Anjos, hoje curador da Bienal Internacional de Arte de São Paulo, ao lado de Agnaldo Farias.


PARALELA 2010
Onde:
Liceu de Artes e Ofícios de São Paulo (rua da Cantareira, 1.351. Entrada pela rua Jorge Miranda, 676. Próximo à estação Tirandentes do Metrô)
Quando: de 22/9 a 28/11
Quanto: entrada gratuita

 

Fale com
UOL Entretenimento

Siga UOL Entrete

GUIA DE RESTAURANTES

Mais Guias

Hospedagem: UOL Host