UOL Entretenimento 29º Bienal de Arte
 
14/09/2010 - 08h00

Com videoinstalações e longas, 29ª Bienal de SP abre espaço para o cinema

MARIO GIOIA
Colaboração para o UOL
  • Videoinstalação Static, de Steve McQueen, obra que estará na 29ª Bienal de SP

    Videoinstalação "Static", de Steve McQueen, obra que estará na 29ª Bienal de SP

O público de 1 milhão de visitantes pretendido pela organização da 29ª Bienal terá chances de “ir ao cinema” quando for à exposição. Fortalecendo a tendência de interdisciplinaridade entre todas as artes, a curadoria selecionou alguns artistas que tanto podem ser vistos em salas expositivas de museus e galerias como em festivais de cinema prestigiados, como Cannes e Veneza.

Assim, o tailandês Apichatpong Weerasethakul, que acabou de receber o prêmio máximo no Festival de Cannes, a Palma de Ouro, em maio passado, apresenta uma filme-instalação para a mostra. O alemão Harun Farocki e o português Pedro Costa apresentam novas produções para a Bienal e, paralelamente, ganham ciclos na Cinemateca Brasileira. A franco-belga Chantal Akerman terá filme exibido. E o britânico Steve McQueen, vencedor também de segmento paralelo em Cannes por seu filme "Hunger", em 2008, apresenta a videoinstalação "Static".

“As escolhas da curadoria da Bienal se pautaram por uma visão expandida de político e pela experimentação. Artistas como McQueen, Apichatpong, Costa e outros, como Tacita Dean, têm obras de forte risco”, afirma Moacir dos Anjos, um dos curadores chefes da 29ª Bienal.

Pedro Costa tem sua obra mapeada em dois eventos paralelos à Bienal. O CCBB exibe no Rio e em Brasília, neste mês, ciclo retrospectivo sobre sua obra. A Cinemateca Brasileira (SP) também tem programação especial sobre o autor, mas baseada em filmes que o influenciaram e em um debate. No dia 16, às 18h30, será exibido o longa documental "Numéro Zéro", de Jean Eustache, seguido de debate com o artista português, com o produtor Thierry Lounas e com o diretor Paulo Sacramento. Para a exposição no Ibirapuera, Costa apresentará uma filme-instalação inédita, criada a partir das imagens que coletou durante anos em Fontainhas, subúrbio lisboeta, captando o cotidiano de uma comunidade com fortes laços cabos-verdianos.

“Considero que o Pedro Costa é um dos grandes autores contemporâneos. É fundamentalmente um cineasta, mas as características e qualidades da sua obra permitem uma recontextualização consistente no campo da arte. É um autor muito idiossincrático, uma qualidade cada vez mais importante para a prática artística. Ninguém faz filmes como o Pedro. E ao mesmo tempo coloca-nos o desafio de um ‘back to basics’, de uma arte das imagens que conta as histórias justas e com a justeza que as imagens devem assumir”, avalia o curador Sergio Mah, que dirigiu três edições do Photoespaña, exibindo obras do português em um evento que cruza fotografia, artes visuais e cinema.

  • Divulgação

    O tailandês Apichatpong Weerasethakul exibe na Bienal o filme-instalação "Fantasmas de Nabua"

Já a franco-belga Chantal Akerman, também presente em ciclos de cinema variados em São Paulo e Rio, terá seu longa "D’Est", de 1993, exibido na exposição. O filme é formado por imagens que enfocam desde a Alemanha até a Rússia, atestando as mudanças da paisagem e a derrocada do antigo bloco socialista.

Weerasethakul, um dos nomes mais incensados recentemente no Festival de Cannes -- além de ter arrebatado a Palma de Ouro, em 2010, teve seu "Blissfully Yours" premiado no segmento Um Certo Olhar, em 2002, e o seu "Mal dos Trópicos" contemplado com o Prêmio Especial do Júri, em 2004 --, terá sala onde será exibido "Fantasmas de Nabua", filme-instalação que já esteve em variadas exposições de artes plásticas. No título, crianças jogam futebol com uma bola de fogo e a própria existência física do filme é afetada pelas chamas.

E Steve McQueen, que em sua primeira incursão nos cinemas já recebeu o prêmio Camera D’Or, destinado a estreantes, apresenta "Static", videoinstalação na qual a Estátua da Liberdade é vista em sucessivos planos, das formas mais diversas. A filmagem dialoga com o som do helicóptero e do vento em diferentes tons, como a formar uma paisagem sonora.


29ª BIENAL DE SÃO PAULO
Quando: abertura para convidados, 21/9; abertura para o público, 25/9; de segunda a quarta, das 9h às 19h, quinta e sexta, das 9h às 22h, e sábado e domingo, das 9h às 19h; até 12/12
Onde: Pavilhão da Bienal (parque Ibirapuera, portão 3)
Mais informações: site oficial da 29ª Bienal

"CINEFILIA E PRESERVAÇÃO: ENCONTRO COM PEDRO COSTA"
Quando: 16/9 às 18h30
Onde: Cinemateca Brasileira (lgo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Mariana, São Paulo)
Quanto: R$ 8 e R$ 4 (meia-entrada)
Mais informações: www.cinemateca.com.br

"O CINEMA DE PEDRO COSTA"
Quando: de 11 a 23/9 (Rio de Janeiro) e de 14 a 26/9 (Brasília)
Onde: CCBB-RJ (r. Primeiro de Março, 66, Centro, Rio de Janeiro) e CCBB-DF (SCES, Trecho 2, lote 22, Brasília)
Quanto: no Rio, R$ 10 e R$ 5 (meia-entrada); em Brasília, R$ 4 e R$ 2 (meia-entrada)
Mais informações: www.bb.com.br

"HARUN FAROCKI: POR UMA POLITIZAÇÃO DO OLHAR"
Quando:
17/9 a 3/10 (Cinemateca) e de 20/9 a 1/10 (Cinusp). Veja a programação no site da Cinemateca
Onde: Cinemateca Brasileira (lgo Senador Raul Cardoso, 207, Vila Mariana, São Paulo) e Cinusp (r. do Anfiteatro, 181, Colméia, Favo 4, Cidade Universitária, São Paulo)
Quanto: na Cinemateca, R$ 8 e R$ 4 (meia-entrada); no Cinusp, entrada franca

Fale com
UOL Entretenimento

Siga UOL Entrete

GUIA DE RESTAURANTES

Mais Guias

Hospedagem: UOL Host