PUBLICIDADE
Topo

Da Patotinha a apresentadora 'adulta': relembre a carreira de Eliana na TV

Colaboração para o UOL, em São Paulo

03/09/2020 04h00

Não é de hoje que Eliana é uma das apresentadoras mais conhecidas do país —ela será convidada do "OtaLab" no UOL nesta quinta-feira (3), a partir das 19h (de Brasília). Mas, se você estiver chegando agora, talvez não saiba que o começo de todo esse sucesso foi bastante diferente.

Nada de programas de televisão. Embora sua primeira aparição na mídia tenha sido em 1984, em um comercial da Valisére, o início da trajetória aconteceu na música.

Em 1986, aos 13 anos, Eliana se tornou integrante do grupo A Patotinha —um quarteto vocal feminino infantojuvenil formado no final da década de 1970. Mal sabia-se que ela, uma das últimas garotas a ingressar no conjunto, seria a que mais faria sucesso nos anos (ou melhor, décadas) seguintes.

Antes do início oficial na TV, houve ainda outra parada em um grupo musical: o Banana Split.

Banana nanica?

Durante o seu período no grupo, Eliana foi apelidada por Silvio Santos, que passou a chamá-la de "banana nanica", por causa de sua altura —1,62 m. Mas o dono do SBT reparou em mais do que a estatura da artista.

"Fui participar do programa 'Qual é a Música?' com o Silvio Santos, e como eu era a menor de todas, ele começou a me zoar com essa história de banana nanica", contou Eliana em participação no programa "Lady Night", de Tatá Werneck, em 2018.

"Ele viu um grande potencial na 'nanica', e deu certo. Me chamou em 1991 para eu apresentar o meu primeiro programa no SBT", completou.

Na televisão, Eliana decolou.

O começo nas telas foi apresentando programas infantis. Entre um desenho e outro, Eliana ia conquistando seu espaço. Ao todo, foram 16 anos de trabalho dedicado ao público mirim.

Lembra dos dedinhos?

Um dos momentos marcantes dessa fase foi a música "Os Dedinhos", que ela apresentou pela primeira vez quando estava à frente do programa "Sessão Desenho". A canção originou um álbum infantil de mesmo nome em 1993 —o disco vendeu mais de 300 mil cópias.

"Comecei a cantar 'Dedinhos' com meus sobrinhos em casa, eles pediam mais, gostaram e levei para o programa. Uma gravadora me chamou e foi um sucesso", contou em entrevista no "Programa do Porchat", em 2018.

Teve até indicação ao Grammy

Embalada no sucesso de músicas infantis, Eliana foi indicada ao Grammy Latino no ano 2000 com o álbum "Primavera" --que também contava com uma nova versão de "Os Dedinhos".

Ela concorreu na categoria Melhor Álbum Infantil, mas não ficou com o prêmio.

Chegou a hora de dizer tchau para as crianças

Em 2005, Eliana se lançou em um novo desafio: apresentar programas voltados para o público adulto. A mudança aconteceu quando ela já estava na Rede Record e estrelou o "Tudo É Possível".

A mudança, porém, não foi fácil. A apresentadora contou até com a ajuda de uma sexóloga.

"Fiz terapia com ela. Quando ligava as câmeras, eu tava condicionada a sempre ficar mais doce, mais menina, e já não era no meu dia a dia. Tinha que tirar esse bloqueio e deixar a mulher aflorar", disse, no "Programa do Porchat".

E rompeu barreiras.

Além do desafio de falar com outro público e em outro horário, Eliana precisou também romper outra barreira: a de gênero.

"Quando deixei de ser apresentadora infantil para comandar um programa de auditório aos domingos, o horário mais concorrido da TV brasileira, me deparei com um cenário que diz muito sobre nossa história. Até aquele momento, só homens, os grandes nomes da TV, tinham espaço aos domingos", disse à "Folha de S. Paulo", em 2018.

Hoje, Eliana já soma uma década e meia de trabalho ao público adulto. Nada mal, né?