PUBLICIDADE
Topo

Gabriela Prioli fala de nova fama e responde críticas de 'haters'

Mais OtaLab
1 | 25
Siga o UOL no

Do UOL, em São Paulo

23/07/2020 17h24

Gabriela Prioli viu a sua vida mudar nos últimos meses. Desde março, a advogada criminalista e analista da CNN Brasil passou a ser nome bastante conhecido nas redes sociais e debates sobre política. Em participação no "OtaLab" no UOL nesta quinta-feira (23), ela falou sobre como tem lidado com a nova fama e críticas dos "haters".

"A coisa aconteceu muito rápido. Eu já vinha me preparando, o período antes da estreia permitiu me preparar bastante de ter a vida exposta na televisão. Até tentei fazer terapia a distância, mas confesso que não fui bem-sucedida. Estou segurando as pontas, por enquanto sozinha, mas a terapia está nos meus planos. Estou aprendendo com o tempo. É difícil, a gente vê a coisa chegar e vai lidando como consegue", disse.

Prioli destacou que não sente "medo" do enfrentamento de ideias nas redes sociais, mas disse "sentir tristeza" pelas pessoas que propagam o ódio.

"Sobre as pessoas discordarem do que eu falo, eu vejo isso com muita naturalidade. Eu não concordo com tudo que eu ouço por aí, e tá tudo bem. Acho a discordância algo supernatural. Eu só às vezes sinto tristeza pelas pessoas que propagam o ódio porque isso reflete o que elas têm para entregar para o mundo", destacou.

"Por mais que a gente sinta algum incômodo quando ouvimos alguma opinião diferente da nossa, a forma de reagir a isso não é com agressividade. A gente pode evoluir a partir das discordâncias", acrescentou.

Durante a participação, Gabriela Prioli falou também sobre a importância das mulheres "se fortalecerem".

"Muitas vezes as mulheres acabam se diminuindo porque, de alguma maneira, a crítica machista toca em um ponto que está mal resolvida dentro dela. Quando a gente se fortalece e se apropria de quem a gente é, a gente passa a se orgulhar dos nossos traços característicos, a gente fica muito mais forte para se impor no mundo para conscientizar as pessoas do nosso papel e da nossa importância."