Por dentro de "Shazam!"

UOL esteve no set e revela os bastidores de gravação do novo filme da DC, que chega hoje aos cinemas

Renata Nogueira Do UOL, em Toronto (Canadá)*
Reprodução/YouTube

26 de abril de 2018. O frio de 4ºC que fazia em Toronto naquela quinta-feira nem se compara às temperaturas negativas que a equipe de "Shazam!" estava enfrentando nos últimos sete meses.

É a neve que dá o tom natalino, pano de fundo da história de Billy Batson, o órfão adolescente que encontra uma família para chamar de sua ao mesmo tempo em que ganha superpoderes de um mago misterioso que o transformam em super-herói.

As gravações terminam junto com o fim da temporada de neve na cidade canadense. A história se passa na Filadélfia, distante 800 quilômetros dali, mas quase todo o filme foi rodado fora dos Estados Unidos. O UOL acompanhou um dia de gravações de "Shazam!".

Quase um ano depois da nossa visita, a comédia aventureira chega aos cinemas como um refresco para um público que já não se identificava tanto com o universo sombrio da DC.

Divulgação Divulgação

Quem é Franklin?

Sem os pôsteres espalhados pelas paredes com as produções que por ali já passaram não seria possível identificar que estávamos no local de onde saíram filmes como "It" (2017), "Esquadrão Suicida" (2016) e até o "RoboCop" (2014) do diretor brasileiro José Padilha. A equipe que nos recebe em uma sala de reuniões carrega crachás com a palavra "Franklin".

É de praxe que as produções adotem um nome fantasia durante as filmagens. Um cuidado necessário para evitar o vazamento de informações antes da hora. Outro cuidado é lacrar todos os celulares antes de mostrar as primeiras cenas de "Shazam!", ainda não finalizadas, para o grupo de dez jornalistas de quase todas as partes do mundo. É permitido gravar as entrevistas e informações que virão ao longo do dia, mas as imagens do set estão restritas às lentes de um fotógrafo contratado pelo estúdio.

O cenário é uma tradicional sala de reuniões. O diretor David F. Sandberg dá pistas sobre o que será visto no filme dele para a DC.

Tentamos filmar o máximo possível sem efeitos especiais. Construímos muitos cenários e componentes, mas é claro que tem coisas que não tem como fazer sem efeitos especiais. Ainda assim construímos um parque inteirinho para destruir, a Pedra da Eternidade, destruímos um ônibus...

Para ajudá-lo a trazer uma nova história para dentro do Universo Estendido DC, o diretor contou com boa parte de equipe que trabalhou com ele em "Anabelle 2", seu trabalho anterior a "Shazam!". A figurinista Leah Butler e a designer de produção Jeniffer Spence, por exemplo, repetiram a parceria. Esposa do diretor, a atriz Lotta Losten também está em "Shazam!" como assistente do vilão Dr. Silvana, interpretado por Mark Strong.

"'Shazam!' até que tem umas semelhanças com meus filmes anteriores. Tem os órfãos, uma casa cheia de crianças... Não é um filme de terror, mas podemos dizer que é um filme com monstros. Tem os vilões, os sete pecados capitais. O conceito é parecido", analisa o sueco, famoso por filmes de terror como "Quando As Luzes Se Apagam" (2016) e "Annabelle 2" (2017). "Shazam!" é sua primeira comédia.

A morada de Shazam

David F. Sandberg é chamado novamente quando somos levados à Pedra da Eternidade. O cenário é reproduzido dentro de um dos gigantescos galpões do complexo do Pinewood Toronto Studios. A morada do mago Shazam será também abrigo dos jornalistas pelo resto do dia. A caverna escura que Billy Batson dá de cara quando sai de um vagão do metrô é o mesmo lugar em que almoçaremos.

A estrutura imensa, escura e fria impressiona por ser bastante parecida com a das HQs de Shazam na fase dos Novos 52. "Muitos dos personagens são dos Novos 52. Alguns não existiam nas HQs antigas. Você pega umas coisas dali e daqui e acaba juntando. É uma mistura dos velhos e novos quadrinhos", explica o diretor.

Entre um take e outro, Sandberg toma o trono do mago Shazam para posar para uma foto com os jornalistas naquele que é um dos poucos cenários sombrios do filme. Somos observados pelos sete pecados - um pouco mais aterrorizantes que os mostrados nos quadrinhos de Geoff Johns e Gary Frank.

Assim que o diretor retoma o trabalho, entram em cena os profissionais que estão por trás das câmeras. É quando são revelados detalhes como os símbolos do Egito antigo esculpidos manualmente nas paredes, o piso encaixado pedra a pedra para dar mais realidade e a lona azul escondida lá no alto onde serão projetados alguns dos efeitos especiais.

A designer de produção Jennifer Spence chama a atenção de uma das jornalistas. Ela carrega um cachorrinho enrolado em um cobertor. Frog é o mascote da equipe. Acostumado com os avisos de "we are rolling" ("gravando"), o bichinho já sabe que aquele é o sinal para ficar quietinho no estúdio. Os registros no Instagram de David F. Sandberg provam que Frog estava lá desde o início.

O pedido de licença para levantar uma grua com várias câmeras e iluminação são os sinais que já temos uma gravação em curso.

Reprodução/Instagram Reprodução/Instagram

Créditos para Frog

Frog, o cãozinho da Jennifer Spence, só foi percebido após 10 minutos de conversa com a designer de produção. Acostumado a acompanhar a mãe nos sets, o chihuahua desenvolveu uma característica atípica. Ele é muito silencioso.

"Ele nunca late. É um cão trabalhador. Seu nome é Frog e eu o carrego para todos os lados. Todos aqui o amam e ele me faz companhia", explica a profissional responsável por criar os cenários do filme.

Spence ainda reforça que o diretor David F. Sandberg desenvolveu um carrinho especial por Frog, que antes de "Shazam!" também esteve nos sets de "Quando as Luzes se Apagam" e "Annabelle 2". "O David é louco por ele! Se você olhar o Instagram dele tem muitas fotos do Frog. Ele não chora, nem late, nunca faz barulho. É um cão perfeito para o set."

Reprodução/YouTube Reprodução/YouTube

Horas que viram minutos

A cena é, teoricamente, simples. Billy Batson chega ao seu novo lar já no corpo de Shazam e precisa entrar sem ser percebido na casa. Para isso, ele conta com a ajuda de Freddy Freeman. O primeiro desafio é aparecer na janela sem assustar o irmão adotivo, o segundo é passar sorrateiramente pelos pais na sala de estar e o terceiro é não assustar a irmã caçula falante, que dá de cara com Billy no corpo de um adulto.

O que está sendo gravado ali vai ocupar pouco mais de 1 dos 132 minutos do filme. O local é acessível apenas pela equipe, mas acompanhamos tudo com um fone e um monitor que mostra os bastidores. O áudio e o vídeo revelam os barulhos esquisitos dos exercícios de fono, a cantoria de Zachary Levi nos intervalos e os constantes pedidos do diretor para repetir movimentos como a mão que tampa a boca da menininha. A busca pela cena perfeita não é nada simples.

A pequena atriz é Faithe Herman, a Darla Dudley. O carisma que ela transmite no filme também funciona fora de cena. Estudando em uma sala com paredes de vidro antes de entrar em cena, a atriz de 10 anos acena para o grupo de jornalistas que circula pelo set. Pouco depois, é a vez de Zachary Levi passar rapidamente nos trajes de Shazam e cumprimentar os convidados do dia.

Divulgação Divulgação

A família Shazam

  • Freddy Freeman

    Nerd assumido, ele sabe tudo de super-heróis e ajuda Billy Batson a descobrir seus poderes quando ele se transforma em Shazam

    Imagem: Divulgação
  • Mary Broomfield

    A mais velha do lar de acolhimento se sente responsável pelos irmãos e fica dividida quando ganha uma bolsa para a faculdade

    Imagem: Divulgação
  • Billy Batson

    O órfão que já passou por vários lares de acolhimento fica resistente à nova família até se entender com seus superpoderes

    Imagem: Axelle/Bauer-Griffin/FilmMagic
  • Darla Dudley

    Fofíssima, a caçula é muito carinhosa, adora conversar e abraçar e resume o clima familiar do filme

    Imagem: Divulgação
  • Eugene Choi

    Fã de games, o pequeno garante momentos pontuais, mas hilários, e vai surpreender com suas referências mesmo vivendo nos tempos atuais

    Imagem: Lil' Toes Photography
  • Pedro Peña

    Acostumado com o bullying por causa de seu peso, o irmão gordinho se isola até descobrir sua verdadeira força

    Imagem: Divulgação
Divulgação Divulgação

Um parque de diversões real

O Chilladephia Winter Carnaval se passaria por qualquer parquinho de diversão de cidades do interior se não estivesse um pouco destruído. O cenário, montado em um terreno próximo ao estúdio que geralmente é usado quando o Cirque du Soleil se apresenta em Toronto, é onde acontece boa parte das cenas de ação de "Shazam!".

A roda gigante, trazida de St. Louis, nos Estados Unidos, para o Canadá, foi totalmente destruída para uma das cenas mais emblemáticas do filme. Ainda que as filmagens ali já tenham terminado, o espaço ainda está montado com as típicas barraquinhas de jogos decoradas com bichinhos de pelúcia, bolas e outros brindes.

O desafio da equipe ali foi disfarçar o horizonte da cidade, que ocupa todo o fundo do enorme terreno. A vista é incrível, mas um olhar mais atento de um espectador facilmente identificaria Toronto e seu inconfundível CN Tower, prédio símbolo da cidade. A saída foi modificar o horizonte digitalmente para que se parecesse com a Filadélfia.

Morgan Lieberman/FilmMagic Morgan Lieberman/FilmMagic

"Quero Ser Grande" 31 anos depois

Um adolescente de 14 anos que, de repente, vira adulto. A história eternizada por Tom Hanks em "Quero Ser Grande" em 1988 é uma das principais fontes de inspiração para Zachary Levi criar seu personagem em "Shazam!", 31 anos depois.

"Shazam é algo como 'Superman' misturado com 'Quero Ser Grande'. Eu não poderia estar mais satisfeito já que 'Quero Ser Grande' é um dos meus filmes favoritos e o Tom Hanks é um dos meus atores favoritos. Sempre quis fazer algo parecido. Agora tenho essa chance e ainda pude fazer a minha versão incrementada com superpoderes", comemora o protagonista.

Nas filmagens em uma loja de brinquedos dentro de um shopping nos arredores de Toronto, o grandalhão aproveitou para repetir a famosa cena do piano de Tom Hanks. A pérola ficou restrita aos vídeos de bastidores. A referência, no entanto, aparece no filme rapidamente e será captada por aqueles que curtiram a infância vendo o filme de Tom Hanks na Sessão da Tarde.

O clima de Sessão da Tarde, aliás, predomina. Com a história focada em um grupo de crianças, a atmosfera é bastante familiar. O clima é resumido pelo diretor David F. Sandberg.

"É sobre família, sobre encontrar uma família. Tem uma mensagem bonita sobre adotar uma família, aquela família que não é necessariamente de sangue, mas aquela que você transforma em sua família."

Veja o trailer de "Shazam!"

Curtiu? Compartilhe.

Topo