PUBLICIDADE
Topo

Sem fôlego para competir com web, último cinema pornô de Paris fecha as portas

Homem observa pôster do Beverley durante o evento que marcou o fechamento do cinema - Stephane de Sakutin/AFP
Homem observa pôster do Beverley durante o evento que marcou o fechamento do cinema Imagem: Stephane de Sakutin/AFP

27/02/2019 13h08

Depois de quase 50 anos de atividades, o último cinema pornô de Paris, o Beverley, exibiu sua última sessão no sábado (23). O local, um templo dos apreciadores do gênero, ficava em uma região boêmia da capital francesa, no 2º distrito.

O fechamento simboliza as mudanças no consumo de vídeos pornôs nas últimas décadas --dos cinemas, os espectadores passaram para os sites na internet, acessados a qualquer momento e gratuitamente.

O Beverley era o contrário disso: se mantinha fiel ao estilo dos anos 1970, com carpetes vermelhos desbotados cobrindo as paredes e pôsteres vintage completando a decoração. O último proprietário do estabelecimento, Maurice Laroche, 75 anos, manteve por quase três décadas o funcionamento original do cinema.

Em troca de uma tarifa única de 12 euros, o cliente podia ficar o tempo que quisesse dentro da sala, na qual eram projetados dois filmes continuamente. Do meio-dia à meia-noite. Todos os dias da semana. A entrada de menores de idade era proibida.

Vintage eram também os filmes exibidos, preciosidades dos anos 1970 e 1980, quando a sexualidade era apresentada de uma maneira mais "real" na telona --mulheres sem silicone, homens com pênis de tamanho natural. Era por isso que, até o fim, a sala ainda registrava uma frequentação regular, em especial por habitués desse estilo que, agora, ficou no passado.

Público pôde comprar objetos do cinema durante a última exibição do cinema - Stephane de Sakutin/AFP - Stephane de Sakutin/AFP
Público pôde comprar objetos do cinema durante a última exibição do cinema
Imagem: Stephane de Sakutin/AFP

"O Beverley recebia 7.000 clientes por semana na década de 1970. Desde o início dos anos 2010, o número passou para 1.500 e, hoje, terminamos com menos de 500", contou Laroche ao jornal Le Parisien.

Clientes compartilhavam paixão pelo gênero

Os números refletem a mudança da maneira de consumir pornô ? de uma prática coletiva para outra bem mais individual, observa a revista Les Inrocks. Na época de ouro do gênero, Paris possuía mais de 900 cinemas especializados.

Os clientes do Beverley ainda podem levar para casa recordações desse ciclo que se encerrou, completa o Parisien. As 90 poltronas foram colocadas à venda por 30 euros cada uma e os pôsteres, a partir de 10 euros. Cerca de 200 filmes em película 35mm também estão à venda, por 50 euros a unidade. Por 60 euros, os fãs mais fiéis podem comprar uma caixa especial que contém um DVD com a história do cinema, fotos e um CD com as músicas tocadas no local.

Último cinema pornô de Paris fecha as portas - Stephane de Sakutin/AFP - Stephane de Sakutin/AFP
Imagem: Stephane de Sakutin/AFP

"Vou lamentar não rever mais os meus clientes e o clima caloroso que reinava no Beverley, como quando um espectador trazia um queijo de Auvergne e outro levava um vinho, para compartilhar com todos que estavam na sala. Nós conversávamos sobre tudo, menos política", contou Laroche ao jornal francês.

O cinema foi comprado por uma incorporadora imobiliária, por um valor mantido em sigilo. Agora, a França só tem mais um estabelecimento deste tipo, que fica em Grenoble, no sudeste do país.