Topo

Entretenimento

Carta antissemita de Wagner é vendida pelo equivalente a R$ 118 mil em leilão

Ammar Awad/Reuters
Carta escrita em 1869 pelo compositor alemão Richard Wagner Imagem: Ammar Awad/Reuters

Eli Berlzon e Dedi Hayoun

De Jerusalém

24/04/2018 19h02

Uma carta escrita pelo compositor alemão Richard Wagner que ressaltava seu antissemitismo foi vendida para um colecionador judeu da Suíça em leilão em Israel nesta terça (24) por 34 mil dólares, informou a casa de leilões.

A carta, escrita em uma amarelada folha dupla de papel, foi escrita por Wagner em Lucerne, na Suíça, em 1869. A carta era aparentemente destinada ao filósofo francês Édouard Schoure, disse Meron Eren, da Kedem Auction House.

A identidade do comprador não foi divulgada.

Na carta, Wagner tenta explicar as ideias de seu ensaio antissemita "O Judaísmo na Música" para Schoure e escreve que os franceses não eram capazes de distinguir "a influência destrutiva do espírito judeu na cultura moderna", segundo o site da Kedem.

Wagner, cujas óperas extensas são louvadas como obras-primas musicais, era o compositor favorito de Adolf Hitler e ele e seus seguidores nazistas adotaram os escritos e ideologia antissemita do compositor.

Wagner morreu em 1883 em Veneza, poucos anos antes do nascimento de Hitler, na Áustria.

"Surpreendentemente, esta carta veio de um colecionador em Israel que provavelmente comprou na Europa há 10 ou 20 anos?, disse o chefe da casa de leilões à Reuters.

Eren disse que a venda de uma carta antissemita em Israel é "um problema para nós", mas que colecionadores particulares ou museus focados no Holocausto ou no ódio aos judeus teriam interessados no item.

"Nós achamos que é a coisa certa a ser feita", disse.

A música de Wagner raramente é tocada em Israel, onde evoca memórias do Holocausto, embora alguns músicos proeminentes tenham pedido um fim à proibição extra-oficial.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento