PUBLICIDADE
Topo

Mexicanos veem vitórias no Oscar como sinal de influência cultural apesar de Trump

Guillermo del Toro brinca com os dois Oscars que ganhou por "A Forma da Água" - REUTERS/Mike Blake
Guillermo del Toro brinca com os dois Oscars que ganhou por "A Forma da Água" Imagem: REUTERS/Mike Blake

Michael O'Boyle

Cidade do México (México)

06/03/2018 12h17

O triunfo do diretor Guillermo del Toro no Oscar e o prêmio de melhor animação para o filme "Viva - A Vida é Uma Festa" foram recebidos pelos mexicanos na segunda-feira (05) como um sinal da influência cultural de seu país nos Estados Unidos, apesar das crescentes tensões durante o governo Trump.

A conquista do prêmio de melhor diretor por Del Toro com "A Forma da Água", uma fábula sobre os maus-tratos sofridos pelos oprimidos, marcou a quarta vez em que um mexicano levou a estatueta para casa nos últimos cinco anos, após os sucessos de Alfonso Cuarón e Alejandro González Iñárritu.

A consagração de cineastas mexicanos em Hollywood se contrasta com os repetidos ataques de Trump contra o vizinho do sul, que tiveram início quando ele lançou sua campanha dizendo que imigrantes mexicanos são estupradores e assassinos.

No México, as manchetes se gabavam: "México domina o Oscar","Oscar 2018: Noite do México" e "Del Toro pinta o Oscar de verde, branco e vermelho", as cores da bandeira do país.

Cena do filme "Viva: A Vida é uma Festa" - Reprodução - Reprodução
Cena do filme "Viva: A Vida é uma Festa"
Imagem: Reprodução

Em seu discurso de agradecimento, Del Toro celebrou sua herança de imigrante e provocou Trump de maneira velada, que quer construir um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México para conter a imigração ilegal.

"A melhor coisa que nossa arte faz e nossa indústria faz é apagar as linhas na areia", disse Del Toro. "Devemos continuar a fazer isso quando o mundo nos diz para torná-las mais profundas".

Latinos residentes nos Estados Unidos e mexicanos em casa comemoraram sua vitória.

"Foi empolgante de se ver", disse Gaz Alazraki, cineasta mexicano que produz a série "Club de Cuervos" do Netflix.

"Guillermo falou em nome de todos os sonhadores. Com seu sucesso, ele é um símbolo do que os Estados Unidos significam para os estrangeiros desde sempre", disse à Reuters.

O sucesso da animação "Viva - A Vida é uma Festa" também foi celebrado como um avanço por colocar tradições mexicanas e a vida em pequenos vilarejos do país no centro de um filme da Disney.