Topo

Entretenimento


Kennedy Center homenageia Lionel Richie e Gloria Estefan em festa anual sem a presença de Trump

2017-12-04T11:48:53

04/12/2017 11h48

GENTE-KENNEDYCENTER-SEMTRUMP:Kennedy Center homenageia Lionel Richie e Gloria Estefan em festa anual sem a presença de Trump

Por Jeff Mason

WASHINGTON (Reuters) - Com a ausência notável do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, o Kennedy Center homenageou no domingo os cantores Lionel Richie e Gloria Estefan, o rapper LL Cool J, o produtor de televisão Norman Lear e a dançarina Carmen de Lavallade com prêmios artísticos.

Os Prêmios do Kennedy Center são considerados a maior honraria do país para artistas de várias áreas, e a importância do evento anual costuma ser sublinhada por uma recepção do presidente e da primeira-dama na Casa Branca.

Mas não este ano.

Em agosto a Casa Branca informou que Trump e sua mulher, Melania, não compareceriam para que os homenageados pudessem desfrutar da ocasião "sem qualquer distração política". A recepção da Casa Branca também foi cancelada devido ao fato de alguns dos premiados terem dito que a boicotariam.

De Lavallade, de 86 anos, disse que decidiu que não poderia comparecer a tal evento depois de Trump dizer que extremistas de direita e esquerda tiveram culpa em um comício de supremacistas brancos realizado na Virgínia no qual uma mulher morreu.

"Algo em minha alma... disse não", contou ela aos repórteres.

O espetáculo propriamente dito transcorreu com pouca política e muitos astros.

Músicos como Stevie Wonder, Quincy Jones e Kenny Rogers prestaram homenagem a Richie, dono de sucessos como "Three Times a Lady" e "Say You, Say Me".

Gloria Estefan, cantora e compositora de 60 anos nascida em Havana, foi festejada por sua filha, Emily, que cantou uma versão comovente de "Reach", um dos sucessos de sua mãe.

Mais Entretenimento