Entretenimento

Turismo na Europa é impulsionado por recuperação econômica e petróleo mais barato

Por Victoria Bryan e Maria Sheahan
Imagem: Por Victoria Bryan e Maria Sheahan

05/03/2015 15h54

Por Victoria Bryan e Maria Sheahan

BERLIM (Reuters) - As empresas de viagens e turismo estão prevendo um ano robusto na Europa graças à recuperação das economias locais e à queda no preço do petróleo.

Muitos relatórios recentes sobre dados econômicos superaram as expectativas, e os sinais de um restabelecimento longamente aguardado começam a transparecer nos lucros de empresas globais de destaque.

O presidente da companhia aérea Emirates Airline, Tim Clark, disse que o alívio quantitativo do Banco Central Europeu pode impulsionar a economia regional, enquanto que o petróleo mais barato, que pode reduzir os gastos com a commodity e com aquecimento, disponibilizará mais renda aos consumidores.

"As pessoas sofreram durante muito tempo, querem retomar suas vidas, começar a gastar, e viajar é parte disso", declarou ele durante a ITB (Bolsa Internacional de Turismo, na sigla em alemão), feira de negócios do setor turístico, em Berlim.

Agências de turismo como TUI, DER Touristik e Alltours têm relatado uma grande procura neste ano para destinos como Ilhas Canárias, Egito, Tailândia e até a Grécia, onde as incertezas políticas não espantaram os turistas.

O Soma Bay, um resort no Mar Vermelho, afirma ter visto um aumento no número de visitantes, cuja maioria tradicionalmente é de alemães, e de lucros em janeiro e fevereiro.

"A Páscoa promete muito... achamos que ficaremos lotados", disse o gerente-geral, Ibrahim El Missiri, à Reuters.

No ano passado, o Soma Bay teve que oferecer mimos como upgrades gratuitos e sessões adicionais de golfe para ocupar 85 por cento dos quartos na Páscoa, já que a irrupção da violência no Egito afetou as reservas.

A companhia aérea alemã Lufthansa, mais voltada às rotas comerciais, também espera tirar proveito da demanda crescente para viagens de passeio oferecendo voos de baixo custo para destinos longínquos como Cuba e Tailândia.

Outras empresas torcem para que o dólar forte atraia visitantes dos Estados Unidos à Europa.

"Como somos dominantes na Europa, seremos os primeiros beneficiários do número maior de viajantes norte-americanos", opinou Sebastien Bazin, diretor-executivo da rede de hotéis francesa Accor, à Reuters na IHIF, conferência do setor hoteleiro.

Várias empresas presentes à feira ITB disseram acreditar que a procura em 2015 irá superar a do ano passado.

(Reportagem adicional de Peter Maushagen)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo