Entretenimento

Maior grupo editorial alemão se curva ao Google em disputa sobre licenciamento

05/11/2014 18h24

FRANKFURT (Reuters) - O maior grupo editorial de notícias da Alemanha, o Axel Springer, voltou atrás em um movimento para impedir o Google de exibir trechos de artigos de seus jornais, afirmando que a restrição levou a uma queda do tráfego para seus sites na Internet.

O grupo Springer disse que um experimento restringiu o acesso pelo Google a algumas de suas publicações, levando as visitas a tais sites a despencarem. O resultado fez a empresa dar um passo atrás, que acabou deixando novamente o Google apresentar as notícias da Springer nos resultados de suas buscas.

O presidente-executivo, Mathias Doepfner, disse na quarta-feira que sua companhia teria "tirado a si mesma do mercado" se continuasse com suas exigências para que a norte-americana pagasse taxas de licenciamento. O grupo Springer buscou restringir o uso do Google de notícias de quatro das suas marcas com maiores vendas: welt.de, computerbild.de, sportbild.de e autobild.de, disse a companhia.

O grupo Springer, que publica o jornal diário mais vendido da Europa, o Bild, disse que o domínio do Google sobre a audiência online é muito grande para que se apresente uma resistência.

(Por Harro Ten Wolde e Eric Auchard)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo