PUBLICIDADE
Topo

Polícia russa apreende pintura de Putin usando camisola

Visitante fotografa a pintura "Travesti", de Konstantin Altunin, em uma exposição no "Museu do Poder", em São Petersburgo (Rússia). A obra representa o presidente Vladimir Putin e o primeiro-ministro Dimitri Medvedev vestidos de mulher - Stringer/Reuters
Visitante fotografa a pintura "Travesti", de Konstantin Altunin, em uma exposição no "Museu do Poder", em São Petersburgo (Rússia). A obra representa o presidente Vladimir Putin e o primeiro-ministro Dimitri Medvedev vestidos de mulher Imagem: Stringer/Reuters

Liza Dobkina

De São Petersburgo (Rússia)

27/08/2013 21h11Atualizada em 27/08/2013 21h54

A polícia russa apreendeu numa galeria de São Petersburgo uma pintura em que o presidente Vladimir Putin e o primeiro-ministro Dimitri Medvedev aparecem em roupas íntimas femininas. As autoridades disseram que o retrato satírico viola leis não especificadas.

Foi apreendido também um retrato em que o patriarca da Igreja Ortodoxa era visto com o tronco todo tatuado, e dois outros que ironizavam parlamentares que apoiaram uma recente lei contra a apologia à homossexualidade, segundo funcionários da galeria.

A polícia disse que as pinturas foram recolhidas na noite de segunda-feira do "Museu do Poder" - uma galeria instalada em dois cômodos de um apartamento - após denúncias.

As autoridades não divulgaram detalhes, mas a Rússia tem, de fato, uma lei contra o insulto a autoridades, o que pode acarretar pena de até um ano de prisão.

Numa das imagens, Putin aparece vestindo uma camisola justa enquanto escova os cabelos de Medvedev, que usa calcinha e sutiã.

O dono da galeria, Alexander Donskoy, disse que seu espaço foi fechado, e que ele não recebeu explicações sobre a retirada das pinturas na exposição, intitulada "Líderes".