Entretenimento

Jeff Bezos paga preço alto pelo Washington Post

 Rick Wilking / Reuters
Imagem: Rick Wilking / Reuters

07/08/2013 09h11

7 Ago (Reuters) - O empresário Jeff Bezos acabou de mostrar o quão valiosos podem ser os jornais de prestígio nos Estados Unidos. O multimilionário fundador da varejista online Amazon.com pode ter pago mais de quatro vezes o preço que os resultados financeiros do Washington Post sugerem que a empresa vale.

No negócio anunciado na segunda-feira, Bezos concordou em comprar o Post e um punhado de outros ativos de jornal do Washington Post Co por 250 milhões de dólares.

Levando em conta a avaliação feita em negociações de outros jornais e companhias de mídia de capital aberto, o valor do Washington Post teria ficado perto de 60 milhões de dólares.

Os jornais norte-americanos têm sido avaliados em 3,5 a 4,5 vezes o lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda), de acordo com Reed Phillips, sócio do banco de investimentos em mídia DeSilva e Phillips.

O analista da Morningstar Liang Feng estimou que a divisão de jornal do Washington Post tenha apresentado um Ebitda de 15 milhões de dólares no ano passado, não incluindo encargos com pensões. O presidente-executivo do Washington Post, Donald Graham, afirmou que o negócio havia sido rentável no ano passado, mas se recusou a dar números.

Com base nessas estimativas, Bezos pagou cerca de 17 vezes o Ebitda de 2012. As ações da Washington Post Co subiram mais de 4 por cento na terça-feira.

Um prêmio tão grande, pago essencialmente por ativos intangíveis como a marca da publicação, pode significar que os futuros vendedores de jornais irão aumentar suas expectativas de preço. Outros jornais importantes que estão na mira de potenciais compradores incluem o Los Angeles Times e o Chicago Tribune.

"A realidade para jornais como o Washington Post é que é impossível usar métricas financeiras tradicionais", disse o sócio do The Boston Consulting Group Paul Zwillenberg. "São ativos cujo valor está nos olhos de quem vê."

O acordo pode ser uma boa notícia em meio a tantas ruins para a indústria de jornais, que enfrenta queda nas receitas de publicidade e no número de assinantes, com cada vez mais pessoas acessando notícias na Internet e em dispositivos móveis.

Nos últimos cinco anos a receita de publicidade, que permanece sendo a principal veia de receita para a maioria dos jornais, caiu pela metade, para 22,3 bilhões de dólares.

(Por Jennifer Saba)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo