Entretenimento

Venezuela deporta cineasta dos EUA acusado de espionagem

05/06/2013 13h21

CARACAS, 5 Jun (Reuters) - A Venezuela deportou um cineasta dos EUA que havia sido preso em abril sob acusações de que estaria trabalhando como espião para Washington e assessorando grupos de estudantes de oposição sobre como desestabilizar o país.

O ministro da Justiça e do Interior da Venezuela, Miguel Rodríguez Torres, disse no Twitter nesta quarta-feira que Tim Tracy, "que foi capturado enquanto espionava em nosso país, foi expulso". O advogado de Tracy disse que o cineasta, de 35 anos, foi colocado em um voo para Miami.

A família de Tracy disse que ele estava fazendo um documentário na Venezuela antes da eleição de 14 de abril no país, e o presidente dos EUA, Barack Obama, disse que as acusações contra ele são "ridículas".

O governo da Venezuela diz que agentes de inteligência haviam rastreado Tracy desde o final de 2012 e tinham descoberto ampla evidência de que ele estava conspirando com grupos contrários ao governo para causar violência.

O advogado de Tracy, Daniel Rosales, disse que o cineasta foi bem tratado durante o tempo que passou atrás das grades.

"Tudo acabou bem no final", disse Rosales.

(Por Daniel Wallis e Girish Gupta)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo