Entretenimento

Festival Mundial de Shakespeare terá 37 peças em vários idiomas

23/04/2012 12h10

LONDRES, 23 Abr (Reuters) - Um festival que reúne 37 companhias teatrais de todo o mundo apresentando 37 peças de Shakespeare em diferentes línguas começou nesta segunda-feira em Londres, no teatro Globe, com uma versão no idioma maori de "Troilus e Cressida".

A iniciativa, chamada "Globe to Globe", faz parte do Festival Mundial de Shakespeare, e também do Festival de Londres 2012, ligado aos Jogos Olímpicos.

Sudão do Sul, África do Sul, Belarus e Afeganistão estão entre os países representados, e pela primeira vez uma obra de Shakespeare será levada ao público totalmente na linguagem de sinais britânica.

O Definitely Theatre, de Londres, vai traduzir o texto recheado de trocadilhos da comédia "Trabalhos de Amor Perdidos" como parte do que a Royal Shakespeare Company está chamando de maior festival já dedicado ao poeta e suas obras.

"Estamos extremamente entusiasmados por abrir nossas portas para o mundo", disse o diretor do festival, Tom Bird, que está sendo realizado no Globe, a réplica do teatro original de Shakespeare.

"Este festival oferece a oportunidade de ver peças bastante conhecidas em uma nova maneira, com as influências culturais e convenções teatrais de países que você pode nunca ter visitado."

"Isto é uma oportunidade única na vida para experimentar a obra de Shakespeare de uma forma que provavelmente você nunca viu antes, e uma oportunidade para as comunidades de Londres ouvirem as histórias em sua língua materna."

Demonstrando o impacto das peças de Shakespeare hoje em dia, o Globe vai apresentar as três obras de Henrique VI sobre a primeira grande guerra civil da Inglaterra, transformadas em uma trilogia dos Bálcãs épica e arrebatadora, apresentada pelos teatros nacionais da Sérvia, Albânia e Macedônia.

Mas a série trouxe controvérsias.

Um grupo de importantes atores, diretores e cineastas britânicos assinou uma carta no mês passado contestando a inclusão do Teatro Nacional de Israel, Habima, que deverá apresentar "O Mercador de Veneza" em hebraico no final de maio.

A carta, publicada no jornal The Guardian, atacou o que chamou de histórico "vergonhoso" do Habima de envolvimento com os assentamentos israelenses nos territórios palestinos e pediu que o Globe retire seu convite.

(Reportagem de Mike Collett-White)

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo