Entretenimento

Katy Perry diz que "boas companhias" ajudam a lidar com fama

25/07/2011 18h14

Por Tara Cleary e Christine Kearney

NOVA YORK (Reuters) - Katy Perry acredita que "estar cercada por boas pessoas" a ajuda a lidar com as pressões decorrentes de ser uma das maiores pop stars do mundo, o que, no momento, inclui uma turnê mundial e a participação no seu primeiro filme.

Enquanto o mundo da música lamenta a morte da cantora britânica Amy Winehouse, Perry disse à Reuters que não se sente tentada pelo estilo de vida hedonista que contribuiu com a desgraça de Winehouse e de tantos artistas antes dela.

Ela disse que fica longe das festas e dos vícios graças à ajuda de pessoas honestas e atenciosas que a cercam, como seu marido, o comediante britânico Russell Brand, ele próprio um ex-drogado.

"Gosto de manter boas pessoas ao meu redor, gente que nem sempre diz 'sim', gente com as quais às vezes é difícil conviver, por não dizerem sempre 'sim'", disse ela à Reuters.

"Meu marido é definitivamente uma dessas (pessoas), ele me mantém responsável e, sabe, não é um fã, embora seja um fã ..., ele me apoia e me ama, mas não vem com papo furado para cima de mim, o que é realmente importante."

A californiana de 26 anos, cujos hits incluem "Teenage Dream" e "Firework", postou no sábado pelo Twitter uma nota de pesar pela morte de Winehouse, que era um ano mais velha. "Descanse em paz, Amy Winehouse. Que ela finalmente encontre a paz", escreveu.

Brand disse em seu site que Winehouse, sua amiga, era um "gênio", e lembrou o fato de que ambos passaram pela "doença do vício."

Perry disse à Reuters que tenta se manter centrada num novo momento da sua carreira, em que a cantora empresta sua voz à personagem Smurfette no longa de animação "Os Smurfs."

"No começo era um tal de 'Ah, vamos comemorar', sempre champanhe e festas, e isso era algo que estava tirando de mim a energia de que eu precisava dar à minha carreira neste momento", disse.

Sobre a voz petulante que deu à Smurfette na animação em 3D, ela disse que sua grande motivação foi o fato de ter sido proibida na infância de assistir a desenhos animados, inclusive "Os Smurfs", por seus pais, evangélicos.

"Talvez meu lado rebelde seja: 'Ah, você não podia ver 'Smurfs' quando era criança, agora terá a oportunidade de ser uma Smurf no filme, vai lá'. E foi o que eu fiz."

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

{{subtitle}}

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{ user.alternativeText }}
Avaliar:
 

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Mais Entretenimento

Topo