PUBLICIDADE
Topo

Libertem artista chinês, diz outdoor em galeria britânica

Outdoor na Tate Modern, em Londres, pedindo a libertação do artista chinês Ai Weiwei, detido no último fim de semana e cujo paradeiro não é revelado (08/04/2011) - Luke McGregor / Reuters
Outdoor na Tate Modern, em Londres, pedindo a libertação do artista chinês Ai Weiwei, detido no último fim de semana e cujo paradeiro não é revelado (08/04/2011) Imagem: Luke McGregor / Reuters

08/04/2011 19h43

LONDRES (Reuters) - Um outdoor pedindo "Libertem Ai WeiWei" foi erguido no topo da famosa galeria de arte Tate Modern, em Londres, na sexta-feira, manifestando apoio ao artista e ativista chinês detido.

A galeria pôs as palavras em grandes letras maiúsculas no outdoor iluminado que coroa a galeria, que ocupa uma antiga usina elétrica à margem do rio Tâmisa.

O governo chinês disse na quinta-feira que Ai está sendo investigado por "supostos crimes econômicos", enquanto sua família afirmou que ele é a vítima inocente de uma caça às bruxas política.

A detenção sigilosa do artista vem provocando reações internacionais de ultraje.

O robusto e barbado Ai ajudou a projetar o estádio Ninho dos Pássaros usado nas Olimpíadas de Pequim, em 2008, e vem tendo uma carreira artística internacional destacada ao mesmo tempo em que lança campanhas chamativas contra a censura e as restrições políticas do governo chinês, com frequência utilizando a Internet.

O artista encheu o cavernoso Salão Turbine, da Tate Modern, com mais de 100 milhões de sementes de girassol feitas manualmente de porcelana, para uma instalação montada em 2010. (Olesya Dmitracova)