PUBLICIDADE
Topo

McCartney e Ryan Reynolds concorrem a líder de tribo indígena no Canadá

Paul McCartney faz show no Allianz Parque, em São Paulo, em 2019 - Lucas Lima / UOL
Paul McCartney faz show no Allianz Parque, em São Paulo, em 2019 Imagem: Lucas Lima / UOL

Do UOL, em São Paulo

12/08/2020 15h38

Algum integrante da tribo indígena Walpole Island First Nation, no Canadá, quer ter o ex-Beatle Paul McCartney como chefe. O músico foi um dos indicados para a eleição do posto mais alto da tribo, junto de outro nome famoso: o ator Ryan Reynolds — que, ao menos, é canadense.

James Jenkins, diretor de operações da tribo, comentou à emissora local CBC que não há nada no Ato Indígena do Canadá que impeça uma pessoa branca de ser eleita como chefe de uma nação indígena.

Assim, caso McCartney ou Reynolds vençam a eleição, que ocorre em 19 de setembro, eles terão a opção de renunciar ao título ou simplesmente assumir as responsabilidades de chefe da tribo.

Obra de ativistas?

Segundo Jenkins, as indicações de McCartney e Reynolds são anônimas, mas podem ser uma forma que ativistas encontraram de chamar a atenção do mundo para normas absurdas do Ato Indígena. E o que a gente pode dizer? Funcionou!

Há anos, a Walpole Island First Nation briga pelo direito de escrever a sua própria Constituição, estipulando leis que casem melhor com a realidade vivida por eles.

Reações

Jenkins disse à CBC que as indicações de McCartney e Reynolds se provaram polêmicas na tribo.

Algumas pessoas acharam engraçado, e outras sentem que o processo eleitoral é sagrado, e não deveria haver esse tipo de brincadeira. Muitos acreditam que o processo é importante para o governo da First Nation, mas estamos fazendo o melhor para apoiar todos os pontos de vista na nossa tribo.
Diretor de operações da tribo fala de indicações de celebridades ao posto de chefe