PUBLICIDADE
Topo

Entretenimento

Enio Mainardi, escritor e pai de Diogo Mainardi, morre de covid aos 85 anos

Do UOL, em São Paulo

08/08/2020 16h00

O jornalista, escritor e publicitário Enio Mainardi morreu hoje aos 85 anos em decorrência da covid-19. A informação foi confirmada por seu filho, o jornalista Diogo Mainardi, em nota escrita no site O Antagonista.

"Enio Mainardi, meu pai, morreu neste sábado. Ele estava internado com covid-19. Nosso último encontro foi em 26 de abril de 2019. Viajei a São Paulo com meu filho mais velho e deixei-o na casa de meu pai. Eles gravaram um vídeo juntos. É assim que vou recordá-lo — com esse amor exuberante", escreveu Diogo.

Enio nasceu em Pindorama, no interior de São Paulo, no dia 24 de maio de 1935. Na década de 1970, criou a agência de publicidade Proeme, responsável por slogans de marcas como Tostines, Jurema, Bonzo, Cica, Óleo Lisa e Smirnoff.

Entre seus trabalhos literários estão "Nenhuma Poesia É Inocente" (2007) e "O Moedor" (2013), uma série de contos em que apresentava o seu estilo irreverente e sarcástico.

Enio era muito ativo nas redes sociais e era considerado uma das principais vozes da direita brasileira. Seu último post no Twitter foi ontem, criticando o governador de São Paulo, João Doria (PSDB):

Enio também era um dos principais críticos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do PT. Mais recentemente, ele também desaprovava ações do STF (Supremo Tribunal Federal).

O publicitário, inclusive, deixou de apoiar o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, após o ex-juiz deixar o governo de Jair Bolsonaro (sem partido).

Políticos, jornalistas e admiradores lamentaram a morte de Enio:

Deputada federal Joice Hasselmann:

Deputado federal Jorge Kajuru:

Repórter da Band, Sandro Barboza:

Deputado federal Paulo Eduardo Martins:

Deputada federal Carla Zambelli

Deputada federal Bia Kicis:

Deputado federal Eduardo Bolsonaro:

Entretenimento